São Gonçalo do Amarante - Ceará - Brasil - Quinta-feira 02 de Outubro de 2014 - Ano: VI - Edição: 2.168 - Visitas: 5.835.327 - Postagens: 23.702 - Comentários: 9.079

Distrito de Croatá em São Gonçalo do Amarante recebe Ronda do Quarteirão


O lançamento acontece às 18 horas e contará com a presença do titular da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), Roberto Monteiro

O distrito de Croatá, em São Gonçalo do Amarante (Região Metropolitana de Fortaleza), receberá, nesta sexta-feira, 12, o Programa Ronda do Quarteirão. O lançamento acontece às 18 horas e contará com a presença do titular da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), Roberto Monteiro.

Esta será a quarta área do município de São Gonçalo atendida com o Programa, que já existe na sede do município de São Gonçalo do Amarante e nas localidades de Taíba e Pecém.

Com a implementação no distrito de Croatá, o Ronda do Quarteirão passa a contar com 210 áreas no Ceará. No próximo dia 19 de março, o município de Quixadá, distante 160 quilômetros da Capital, também receberá o Programa.

O POVO Online

3 comentários:

Cardoso Ponte disse...

O PREÇO DA SALVAÇÃO

A proliferação de entidades das mais diversas linhas religiosas tem sido algo gritante e visivelmente vulgar constatado nas grandes, pequenas e médias cidades do país, onde antes, nos quarteirões das ruas e avenidas se encontrava comércios e lojas, temos hoje fileiras de magnetismos templos, igrejas e congregações diversas, atraindo dezenas e centenas de milhares de seguidores inconformados com sua origem de batismo e outros milhares, confusos vivem peregrinando migrando entre uma e outra religião em busca de fortalecer a Fé e alcançar a Salvação seja qual for o preço cobrado.

Este novo desenho religioso tem formatado um atraente e lucrativo layout as entidades religiosas, superando as acanhadas cobranças de taxa de celebração de casamento, batismo, dízimo e doações. Fato que até mesmo o gigante patrimônio das arrecadações financeiras com as escolas, faculdades e hospitais pertencentes às entidades desse naipe, deixou de ser rendosos igualmente as fadadas vendas de medalhas, terço e imagens em gesso de santos e discípulos cristãos.

Hoje o conglomerado de entidades religiosas tem obtido com muito êxito uma concepção inovadora e organizada no conceito do modernismo empresarial, assemelhados aos grandes e sustentáveis empreendimentos mundiais, diante da farta arrecadação de caixa e o fácil convencimento da venda da salvação por meio da vulnerabilidade da fé de milhares de confusos fiéis a favor destas supostas facções.

Todo este descalabro de ações voltadas com a lucratividade com a venda da promessa fácil da Salvação tem impulsionado outro agigantado mercado religioso com a venda de CDs, DVDs, turismo religioso, filmes e livros, aquecidos com a realização de show, peças teatrais, programa de rádio e televisão dirigido aos seus robotizados fiéis escudeiros, visto que padres, pastores e eloqüentes palestrantes religiosos tem trocado o conceito da liturgia erudita da apresentação das cerimônias religiosas por uma vestimenta de legítimos animadores de palco.

Afinal, quanto custa o preço da Salvação? - Pois através da lucratividade com o preço da promessa da Salvação, as entidades religiosas têm apadrinhado muitos devotos e até consagrado a criação de partido político com representatividade nacional para assegura e defender seus interesses junto ao Poder constituído, acrescidos com o respaldo de uma extensa e forte rede de comunicação em todo o território nacional de emissoras de rádios, televisão, jornais e revistas, as quais são promotoras das gravadoras, dos congressos, seminários e fóruns, integrantes deste gigantesco pacote de venda do rendoso mercado religioso que negocia facilmente a Promessa da Salvação aos homens e mulheres de pouca fé.
Cardoso Ponte

Cardoso Ponte disse...

CELIBATO e VITALÍCIO PAPAL
precisa de reforma, JÁ...


Ao inaugurar um dos mais polêmicos assuntos que ainda resistem à contemporaneidade mundial religiosa, buscamos nortear uma linhagem de considerações que tratam sobre os dois mais controversos dogmatismos da História Universal Religiosa, o CELIBATO e o período do VITALÍCIO PAPAL, os quais constituem elementos fadados que necessita de reformado no âmbito da legislação que preconiza o Estatuto da Igreja Católica.

Portanto, os livros Sagrados de “Gênesis a Apocalipse” têm dedicado ênfase à grandeza do matrimonio e da família, impondo leis morais para se conduzir á família com zelo, respeito e amor. Fato que desafio a qualquer cristão divergir a existência em toda a linha da Sagrada Escritura Católica Romana alguma citação bíblica que exalte a proibição ou negação de preceitos doutrinários á padre, sacerdote ou freira de não poder constituir família através da celebração matrimonial do casamento entre homem e mulher.

Em verdade nunca encontrei tanta robustez de riquezas acerca do casamento e da família como existe nas linhas sagradas da Bíblia Católica e isso tem me surpreendido diante da Santa Fé não ter revolucionado ainda um espírito de evolução para adotar estes princípios sagrados invalidando o voto de Celibato aos seus padres, sacerdotes e freiras de modo que esta extensão evolutiva alcance também a invalidação do regime ditatorial “Vitalício Papal,” reconhecendo que o sistema monocrático não é mais aceitável na ordem mundial, nem ousa ter espaço para atuar neste mundo contemporâneo, pois é prova irrefutável do cultivo que ostenta o imperialismo católico e fere severamente a todo o conceito e princípio do Instituto democrático de liberdade cristã mundialmente.
Cardoso Ponte

Cardoso Ponte disse...

A INVENÇÃO DO GOVERNO NÃO FOI PARA DAR EMPREGOS
MAS SUSTENTABILIDADE SOCIAL

É notório a qualquer observador social, perceber que o conceito do espírito público deve estar assentado ao desenvolvimento de pesquisa, trabalho e renda, cúmplice de uma visão integrada que viabilize o desenvolvimento da geração de trabalho e renda junto à iniciativa privada, fortalecendo a musculatura da sustentabilidade social sem a necessidade inchar a máquina pública.
Temos que admitir que Administração Pública não foi inventada para dar emprego, mais para desenvolver ações fomentando meios amplificadores para gerar empregos na iniciativa privada e expandir um planejamento atrativo destinado ao desenvolvimento do País no seu todo.
Todo este descalabro de ações desencontradas do Poder constituído tem que passar por uma profunda assepsia de gestão moral e administrativa, evitando ludibriar a grande demanda de pobres e miseráveis, sangrados pelo golpe da exclusão do machado do assistencialismo que são submetidos os milhares de brasileiros a mercê da sorte neste mundão de meu Deus.
Cardoso Ponte

[ Deixe-nos seu Comentário ]