São Gonçalo do Amarante - Ceará - Brasil - segunda-feira 18 de dezembro de 2017 - Ano: X - Edição: 3.349 - Visualizações: 19.638.129 - Postagens: 32.192

A Veja “sumiu” com a renúncia de Eduardo Cunha na capa. Amigo não é notícia…


Por Fernando Brito · 08/07/2016

A Veja pôs em prática o ensinamento do Dr. Roberto Marinho, como  narra Paulo Henrique Amorim no seu livro O Quarto Poder: “O Globo é o que é mais pelo que não deu do que pelo que deu”.

E, assim, a revista dos Civita não colocou na sua capa, nem nas chamadas menores, o acontecimento político da semana, indubitavelmente: a renúncia de Eduardo Cunha.

Recebi, numa avant-première, a capa da revista, que reproduzi acima.

Inteira e no detalhe, para que você veja que nem nas miniaturas, onde – claro – sobrou espaço para mais uma “pegadinha” no Lula, foi possível falar no ‘homem da mala” do impeachment.

Pena que o leitor da Veja – boa parte deles os coitados (inclusive eu, às vezes) que ficam na sala de espera de médicos e dentistas – não seja capaz de perceber, salvo exceções, o que quer dizer essa ausência.

O jornalista, entretanto, a percebe  imediatamente.

E um pouco de sua alma se perde na vergonha que passa, porque está, de alguma forma, sendo cúmplice disto.

Pode ser, até, que a Veja modifique a sua capa, isso é uma franquia à qual, antigamente, “dar em em segundo clichê”.

Mas só ser for por vergonha pública, o que não é provável.

Faz tempo que a veja não tem vergonha do que publica.

E, como “ensinou” o Dr. Roberto, do que não publica.


0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]