São Gonçalo do Amarante - Ceará - Brasil - segunda-feira 23 de outubro de 2017 - Ano: X - Edição: 3.293 - Visualizações: 18.935.765 - Postagens: 32.192

DOM ORVANDIL | Como urubus, pastores pulam sobre o cadáver de Michel Temer

Editor do blog Cartas e Reflexões Proféticas, presidente da Ibrapaz, bispo da Diocese Brasil Central da Igreja Anglicana e professor universitário

11/07/2016
Prezada Assistente Social e ex-aluna Carzana Zimmer, Campo Grande, MS

Não me surpreendo com a visita que 33 pastores ditos evangélicos fizeram no dia 08 ao presidente interino nem com sua pata de pressão sobre o cadáver de um governo que nasceu morto e se decompõe a olhos vistos e de odor a narizes sentidos.

Os tais pregadores de igrejas neoliberais conservadoras pressionam o golpista a cumprir a agenda que os motivou a apoiar o impeachment.

São dois os pontos centrais cobrados do golpista apoiado pelos "santos" homens de igrejas que não têm nada a ver com Jesus: o combate à ideologia de gênero e a defesa do conceito de família tradicional.

O que causa arrepios é o grau de interferência desses pastores em políticas de responsabilidade do Estado. Pressionam para que o MEC remova a ideologia de gênero e imponha a ideologia da família tradicional.

Noutras palavras, os pastores neoliberais negam o Estado e fazem política de direita, fundamentalista e, por fora das instituições e dos partidos, alinham a clara intenção subversiva de destruir a laicidade do poder político.

Sob o impulso de ideias absolutamente preconceituosas e discriminatórias, invadem o Palácio do Planalto para fazer a pior das políticas, usando um espaço público que deveria ser lugar de debate dos interesses e necessidades de todo o povo brasileiro.

Os mesmos que fingem que igrejas e fé não se misturam com política fazem a pior das políticas, a que exclui e nega os diferentes.

Desejam impor às crianças do ensino público que não respeitem homossexuais, lésbicas, transexuais e travestis. Sua visão obtusa é base para ações que produzem bullying, mortes dos não heterossexuais e a grosseira cura gay, motivando as crianças a descriminar seus colegas nas escolas.

Os moralistas que visitaram o cadáver no Palácio do Planalto confundem, por ignorância e má fé, homossexualidade com promiscuidade e devassidão, para suas mentes raquíticas eticamente, sendo tudo pecado.

Este é problema típico do farisaísmo dominante em muitas igrejas hoje. Como não se aproximam dos diferentes, antepondo-se a eles pelos dogmas congelantes de suas mentes, não os escutam, não lhes olham, não lhes tocam e não os entendem. Não imaginam jamais os dramas tremendamente opressivos que os amargura e os destrói. Como os fariseus, pregam mudanças morais nos outros sob o pretexto de condição para os aceitar. Como esse processo é impossível os condenam para sempre ao abandono e à exclusão social.

O grave é que tal ideologia conservadora tem como fonte o nazismo, que nos tempos de Hitler na Alemanha, com influências em várias partes do mundo, procurou matar nas fornalhas da gestapo todos os que essa doutrina diabólica considerava como impureza da raça humana. Versículos bíblicos arrancados de seus contextos são somente falsas justificativas para tais atropelos desumanos.

O conceito de família tradicional, esta eivada de neuroses, de violências e desrespeitos, principalmente às mulheres, é a afirmação do retrocesso que os pastores de ovelhas dizimistas, que os enriquecem, querem impor ao ministério de educação e, portanto, ao ensino público, onde querem meter indevidamente os seus bedelhos.

A família tradicional, para esses que nada entendem de educação, principalmente educação libertadora e inclusiva, é o modelo suprassumo do preconceito que exclui os casais homoafetivos da possibilidade e do direito de formar suas famílias saudáveis com o apoio social e do Estado.

Ao visitar Michel Temer, o interino golpista de ideias ultrapassadas e mórbidas, nada mais fizeram do que sacralizar um governo morto, sem votos e sem compromissos com a Nação e com o povo.

Os paladinos do conservadorismo não trataram com o interino golpista da sua agenda destrutiva no que tange aos direitos históricos dos trabalhadores, fazendo negociatas com setores do mercado para mudanças sujas na Constituição para aumentar a idade de aposentadoria aos 75 anos para os homens e 70 para as mulheres, com alongamento da carga horária diária para12 horas e 15 minutos de intervalo, por exigência da elitista, reacionária e direitista FIESP e os sindicatos traidores da classe operária.

Isso não é pecado nem preocupa corações e pautas dos pastores apaixonados pelos dízimos dos explorados e assaltados membros de suas igrejas.

Meter-se no Estado os pastores "santos", principalmente para induzir visões moralistas e atrasadas, ah isso sim motiva os homens enfiados em seus ternos escuros e de gravatas, cujo termo original croata vem de "gayvata", um pano colorido que os gays usavam em torno de seus pescoços.


Por sua vez, o chefe do bando cadavérico que ocupa o governo, sem o apoio amplo da sociedade, isolado, recebe o que lhe resta, vindo dos piores grupos, que, como sangue sugas, sem trabalhar, vivem do sangue dos que produzem.

0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]