São Gonçalo do Amarante - Ceará - Brasil - segunda-feira 23 de outubro de 2017 - Ano: X - Edição: 3.293 - Visualizações: 18.935.765 - Postagens: 32.192

Pesquisa do Datafolha publicada na Folha de S.Paulo é uma fraude estatística com a finalidade de legalizar o ‘golpe’


Edição deste domingo da Folha de S. Paulo publica uma pesquisa que tem como finalidade influenciar senadores e consolidar o golpe parlamentar no Brasil; segundo o levantamento, 50% dos brasileiros querem que Michel Temer continue no Palácio do Planalto, muito embora 30% dos brasileiros, segundo a mesma pesquisa, nem saibam o nome do interino; o levantamento também diz que apenas 3% querem novas eleições; no entanto, o mesmo Datafolha, em abril deste ano, realizou pesquisa semelhante, em que constatou que 60% defendiam a renúncia de Temer; no mesmo mês, o Ibope também apontou que 62% dos brasileiros defendem novas eleições, enquanto o Paraná Pesquisas cravou 63%

17 DE JULHO DE 2016

Em abril deste ano, o Instituto Datafolha, controlado pela família Frias, publicou uma pesquisa de opinião pública apontando que 60% dos brasileiros defendiam a renúncia de Michel Temer, enquanto 58% apontavam que ele também deveria sofrer impeachment, assim como a presidente eleita Dilma Rousseff. Os resultados, naturalmente, favoreciam a tese de novas eleições.

Neste domingo, no entanto, o mesmo Datafolha publica uma pesquisa com toda a pinta de ter sido encomendada para influenciar senadores e consolidar o golpe parlamentar no Brasil. De acordo com o levantamento, 50% dos brasileiros agora julgam que é melhor que Michel Temer continue no Palácio do Planalto, muito embora 30% dos brasileiros nem saibam seu nome. De acordo com esse levantamento, 32% defendem a volta de Dilma e 3% querem novas eleições.

Os 60% que, há apenas três meses, defendiam novas eleições, pregando tanto a saída de Dilma como de Temer, foram reduzidos a míseros 3% na pesquisa atual. É um resultado totalmente inconsistente não apenas com o próprio Datafolha, mas também com outros institutos. Em abril deste ano, uma pesquisa Ibope também apontou que 62% dos brasileiros defendem novas eleições. Um mês atrás, o Paraná Pesquisas também indicou que 63% preferem novas eleições.

Para que, em dois meses de interinidade, Temer tivesse transformado a rejeição de 60% em um percentual de 50% de pessoas dispostas a que ele continuasse, seu governo teria que ter operado milagres no Brasil. No entanto, o desemprego cresceu, três ministros foram demitidos e inúmeras trapalhadas ocorreram. O mais provável, portanto, é que o Datafolha tenha tentado torturar os números para consolidar o impeachment.




0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]