São Gonçalo do Amarante - Ceará - Brasil - terça-feira 22 de agosto de 2017 - Ano: IX - Edição: 3.225 - Visualizações: 17.977.957 - Postagens: 31.406

Temer quer mexer na CLT, com unidade sindical e acabar com garantia de direitos dos trabalhadores


"A CLT preserva alguns entulhos autoritários da ditadura getulista. Um deles é o princípio da unicidade sindical, que já deveria ter sido extinto. Como o governo não toca no assunto, fica a impressão de que seu alvo é o que a lei tem de bom: a garantia de direitos dos trabalhadores", diz o colunista Bernardo Mello Franco, sobre a declaração do ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, de que o governo Temer vai propor a "atualização" da CLT até o fim do ano

21 DE JULHO DE 2016 Para o colunista Bernardo Mello Franco, ficou claro nas declarações do ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, que o alvo do governo interino de Michel Temer é mexer na garantia de direitos dos trabalhadores.

"Como mexer na CLT sem atingir os assalariados? O ministro não explicou a mágica. Disse apenas que buscará "um formato que prestigie a negociação coletiva" sobre a lei em vigor. Num cenário de crise, é difícil imaginar que os interesses dos empregados prevaleçam na negociação.

A CLT preserva alguns entulhos autoritários da ditadura getulista. Um deles é o princípio da unicidade sindical, que já deveria ter sido extinto. Como o governo não toca no assunto, fica a impressão de que seu alvo é o que a lei tem de bom: a garantia de direitos dos trabalhadores".


Brasil 247

0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]