São Gonçalo do Amarante - Ceará - Brasil - quarta-feira 23 de agosto de 2017 - Ano: IX - Edição: 3.226 - Visualizações: 17.977.957 - Postagens: 31.406

Crusoe Foods São Gonçalo do Amarante firma parceria com o Governo do Estado para pesca do atum

Processamento de pescado da Crusoé Foods, em São Gonçalo do Amarante

Área de processamento deve ganhar 900 novos empregos. Governo do Estado também estuda a construção de uma escola de pesca em Beberibe em parceria com espanhóis


07/08/2016 - O Governo do Estado quer estimular a pesca do atum feita por trabalhadores e embarcações cearenses. Para isso, firmou uma parceria com a empresa de processamento de pescados Crusoe Foods (do grupo espanhol Jealsa). 

“A indústria está sendo operada com atum capturado a 200 milhas náuticas e por barcos do Ceará. Antes não chegávamos a essa distância. Não tínhamos essa experiência”, explica o assessor para Assuntos Internacionais do Estado, Antonio Balhmann. Ele diz que empresas chinesas, japonesas e russas pescam na costa do Ceará, mas não são geradoras de empregos. 

Com a parceria, a atividade pesqueira, especialmente na área de processamento , deverá ter um incremento de 900 postos de trabalho para o Estado. Entre os itens de destaque estão o lombo do atum e o pescado triturado. “A empresa está treinando pessoal e comprando o peixe de armadores cearenses”, aponta Balhmann. Segundo ele, a empresa espanhola adquire o pescado nos municípios de Itarema e Camocim. A carga é destinada à indústria para processamento em São Gonçalo do Amarante, sede da unidade fabril. 

Fundado em 1958, o Grupo Jealsa é constituído de 14 empresas que atuam nas áreas de pesca e serviços, conservas e pescados, além de participar dos mercados de meio ambiente e energia. Na área de conservas, a empresa se destaca no processamento de atum, mariscos, mexilhões e sardinhas. Possui duas unidades de processamento na Galícia (Espanha). Está presente em outros países, como França, Itália, Portugal e Guatemala. 

Escola de pesca

O governo estadual estuda a construção de uma escola pesqueira em Beberibe, no distrito de Parajuru. A unidade será destinada à formação de obra especializada para pesca oceânica. Além de formar profissionais, a estrutura fomentaria a atividade no Estado.

Para a formatação do projeto, haveria uma parceira com a unidade espanhola da Galícia. O Ceará responderia pela construção. “Nosso objetivo é que eles possam fazer o projeto, tanto da parte pedagógica, quanto física. A instrumentação também ficaria a cargo deles”, ressalta. Os espanhóis trariam barcos, motores e redes de pesca para auxiliar na formação dos alunos. No total, unidade educacional formaria 300 pessoas ao ano. Valores para a construção não foram divulgados.


0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]