São Gonçalo do Amarante - Ceará - Brasil - sábado 21 de outubro de 2017 - Ano: X - Edição: 3.291 - Visualizações: 18.935.765 - Postagens: 32.192

ESMAEL MORAIS | Adeus, Temer

7 de Agosto de 2016

Jornalista e blogueiro paranaense, Esmael Morais é responsável pelo Blog do Esmael, um dos sites políticos mais acessados do seu estado

A delação premiada de Marcelo Odebrecht, se homologada pela Lava Jato, seria motivo bastante forte para abreviar a interinidade de Michel Temer (PMDB). Segundo depoimento do empreiteiro, o dono do golpe pediu e recebeu em dinheiro vivo R$ 10 milhões de propina.

O pedido de “apoio financeiro” feito pelo vice-presidente teria ocorrido em maio de 2014, durante um jantar no Palácio Jaburu, residência oficial de Temer, juntamente com o então deputado Eliseu Padilha (PMDB-RS), atual ministro da Casa Civil.

As informações acima constam numa reportagem da Veja, edição deste fim de semana, que traz detalhes de como atuava o PMDB dentro da Petrobras.

Outro que pegou um “bocadinho” dessa propina — R$ 6 milhões — foi Pato Skaf, o presidente da Fiesp (Federação das Indústrias de São Paulo). Em 2014, o líder do Sistema S disputou o governo de São Paulo com o apoio de Temer.

O diabo é que não foi a primeira vez que o “impoluto” Michel Temer apareceu na Lava Jato. No início de junho recente, o interino mereceu denúncia do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, por embolsar outros R$ 5 milhões da empreiteira OAS. A mídia escondera o fato do distinto.

E agora, doutor Janot? Que fazer, juiz Sérgio Moro?

Para o deputado Paulo Pimenta (PT-RS), com a delação, “Temer acabou e Padilha deve ser afastado já”.


0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]