São Gonçalo do Amarante - Ceará - Brasil - quinta-feira 14 de dezembro de 2017 - Ano: X - Edição: 3.345 - Visualizações: 19.638.129 - Postagens: 32.192

Exploração criminosa da Turmalina Paraíba envolve a Al-Qaeda e a família Cunha Lima


 11 de agosto de 2016

PB Agora – No sertão da Paraíba, brota da terra uma das pedras preciosas mais cobiçadas do planeta. Uma riqueza extraída às custas da exploração da mão de obra barata do sertanejo.

No dia 26/10/2015, o Repórter Record Investigação mostrou a região de onde sai uma das pedras mais caras do mundo, a Turmalina Paraíba. Só que, ao mesmo tempo, esse é também um dos lugares mais pobres do Brasil. A reportagem mostrou detalhes de uma gravação, à qual o Ministério Público Federal teve aceso, com o conteúdo de uma conversa de Ronaldinho com acusados de envolvimento com a Máfia da Turmalina.

O programa revelou como uma organização criminosa roubou milhões em pedras preciosas, maltratou famílias nordestinas e enganou autoridades brasileiras. No comando do esquema, políticos, empresários ricos e poderosos.

Os repórteres da Rede Record, dentre eles o paraibano Wendell Rodrigues, foram à procura de políticos, empresários ricos e poderosos envolvidos com a Máfia da Turmalina.

A reportagem apresentada pelo jornalista Domingo Meireles, deu destaque ao vice-prefeito de Campina Grande e irmão do senador Cássio Cunha Lima (PSDB), Ronaldo Cunha Lima Filho, no qual cita uma ligação telefônica entre “Ronaldinho” do PSDB com um dos envolvidos na máfia da Turmalina. A matéria enfatiza que Ronaldo está sendo investigado pelo Ministério Publico Federal (MPF).

Em busca de outro minério, o caulim, que é muito menos valioso que a Turmalina Paraíba, garimpeiros trabalham em condições desumanas. Eles abrem túneis improvisados embaixo da terra e são conhecidos como os “homens-tatu”.

0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]