São Gonçalo do Amarante - Ceará - Brasil - quinta-feira 17 de agosto de 2017 - Ano: IX - Edição: 3.220 - Visualizações: 17.954.957 - Postagens: 31.406

Janio de Freitas: nunca se viu tanta hipocrisia no Brasil como em 2016


"As 441 folhas do relatório do senador Antonio Anastasia não precisariam de mais de uma, com uma só palavra, para expor a sua conclusão política: culpada. O caráter político é que explica a inutilidade, para o senador aecista e seu calhamaço, das perícias técnicas e pareceres jurídicos (inclusive do Ministério Público) que desmentem as acusações usadas para o impeachment", diz o colunista Janio de Freitas, decano da imprensa brasileira; aprovação do relatório, prevista para ocorrer nesta quinta-feira, abrirá espaço para a votação em plenário e para que o Congresso escreva um dos capítulos mais vergonhosos da história do País, ao sepultar a democracia

4 DE AGOSTO DE 2016

No artigo Afastamento de Dilma é hipocrisia como jamais houve no Brasil, o jornalista Janio de Freitas, decano da imprensa brasileira, reflete sobre como o golpe de 2016 entrará para a história.

"Quem não aceita ver golpe partidário na construção do impeachment de Dilma Rousseff pode ainda admitir, para não se oferecer a qualificações intelectual ou politicamente pejorativas, que o afastamento da presidente se faz em um estado de hipocrisia como jamais houve por aqui", diz ele. "O golpe de 64 dizia-se 'em defesa da democracia', é verdade. Mas o cinismo da alegação não resistia à evidência dos tanques na rua, às perseguições e prisões."

Hoje, diz Janio, o golpe feito por civis e pelo parlamento é diferente. "A hipocrisia do lado civil não tem mais quem a encubra, ficou visível e indisfarçável."

Como o próprio interino Michel Temer afirmou que o julgamento é político, embora o Brasil não seja um país parlamentarista, Janio afirma que "todo o processo do impeachment é, portanto, farsante."

E um dos maiores representantes da farsa é o senador Antonio Anastasia (PSDB-MG), incumbido de produzir o relatório do golpe. "As 441 folhas do relatório do senador Antonio Anastasia não precisariam de mais de uma, com uma só palavra, para expor a sua conclusão política: culpada. O caráter político é que explica a inutilidade, para o senador aecista e seu calhamaço, das perícias técnicas e pareceres jurídicos (inclusive do Ministério Público) que desmentem as acusações usadas para o impeachment", diz ele. "Do primeiro ato à conclusão de Anastasia, e até o final, o processo político de impeachment é uma grande encenação. Uma hipocrisia política de dimensões gigantescas, que mantém o Brasil em regressão descomunal, com perdas só recompostas, se o forem, em muito tempo – as econômicas, porque as humanas, jamais."


0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]