São Gonçalo do Amarante - Ceará - Brasil - sexta-feira 15 de dezembro de 2017 - Ano: X - Edição: 3.346 - Visualizações: 19.638.129 - Postagens: 32.192

A entrevista de Temer ao Diário Oficial da União, também conhecido como Globo, mais bajulação impossível

Jornalistas amestrados, perguntas imbecis, respostas idiotas
Como previsto, o Globo retomou rapidamente sua vocação de Diário Oficial da União

Por Paulo Nogueira | 11/09/2016

Foi assim ao longo de toda a ditadura militar, e também nos governos civis que vieram depois. Isso só mudou na Era PT.

A lógica é: eu apoio incondicionalmente e você me enche de mamatas, a começar por bilionárias verbas publicitárias. E também não me incomoda com coisas como minhas sonegações.

Bem, o Diário Oficial — simplifiquemos para DO — trouxe neste domingo uma entrevista com Temer. O Pravda dos tempos de Stálin não faria coisa mais jornalisticamente idiota.

Cinco jornalistas — um time de futebol de salão — para fazer perguntas tolas e engolir respostas que nem um estagiário deveria aceitar sem réplica.

Por exemplo: o quinteto mágico do DO perguntou a Temer como ele vê o termo golpista.

Temer consegue dizer que golpista não pegou. Repito: ele disse que a expressão golpista não pegou.

É uma das palavras mais utilizadas nas redes sociais. Temer ou aparece como “Temer golpista” ou na forma de #foraTemer nas redes sociais. Você digita Temer golpista no Google aparecem 1,54 milhão de resultados.

Não pegou?

Fora do ambiente virtual, nos protestos que se multiplicam pelas cidades faixas de “Temer Golpista” são ubíquas.

Golpista não pegou?

Quem acredita nisso acredita em tudo, como disse Wellington.

E o DO simplesmente seguiu em frente, como se a resposta fosse decente e satisfatória.

Não menos patético foi o trecho relativo às vaias. Temer disse que estava preparadíssimo — o superlativo é dele mesmo — para as vaias da abertura das Olimpíadas.

Ele falou isso num tom triunfal. Só não explicou por que faltou ao fechamento. O DO não lhe perguntou nada. O que veio foi um complemento do próprio Temer. Se entendi bem, ele quis mostrar sua coragem perante vaias ao comparecer à cerimônia de início das Paralimpíadas.

O que uma coisa tem a ver com a outra? Ninguém do DO lhe perguntou, simplesmente, por que não foi ao encerramento das Olimpíadas. E nem assuntaram sobre se ele pretende ir ao fechamento das Paralimpíadas.

Em vez disso, os repórteres do DO preferiram brincar, cúmplices, bajuladores, sobre o uso de mesóclises por parte de Temer. O pobre leitor não vê, mas você pode imaginar as risadinhas amistosas entre entrevistadores e entrevistado.

Particularmente engraçada foi uma pergunta sobre se Temer está disposto a negar pedidos de aliados. A resposta honesta seria: “Sim, exceto as reivindicações da Globo.”

Muito mais que reivindicações, na verdade, são ordens, exigências. O DO manda em Temer.

Ainda na linha cômica, uma promessa destacada pelo site Os Mentecaptos, também conhecido como O Antagonista. “Vou ser mais presidente”, prometeu. (O Antagonista é aquele site um de cujos editores, quando redator chefe da Veja, mandou um fâmulo escrever um texto ENORME em que comparava o romance que lançara a coisas de Machado de Assis.)

É como aquele perna de pau veterano que um dia acorda,estufa o peito e diz: “Agora vou ser Messi!”


0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]