São Gonçalo do Amarante - Ceará - Brasil - quarta-feira 18 de outubro de 2017 - Ano: X - Edição: 3.288 - Visualizações: 18.935.765 - Postagens: 32.192

Sérgio Moro ‘o intocável’ critica Folha de S.Paulo por abrir espaço a crítica contra sua conduta


Juiz da Lava Jato manda carta ao jornal em resposta ao artigo do professor Rogério Cezar de Cerqueira Leite, que em sua coluna, escreveu que "Moro não percebe, em seu esquema fanático, que a sua justiça não é muito mais que intolerância moralista"; para o magistrado, o jornal deveria evitar "a publicação de opiniões panfletárias-partidárias e que veiculam somente preconceito e rancor, sem qualquer base factual"


12 DE OUTUBRO DE 2016

O juiz Sérgio Moro, que cuida dos processos em primeira instância da Operação Lava Jato, mandou uma carta à Folha de S. Paulo em resposta ao artigo do professor Rogério Cezar de Cerqueira Leite, que criticou duramente o magistrado em sua coluna nesta terça-feira 11.

Cerqueira Leite, que faz parte do conselho editorial do veículo, diz em seu texto que "Moro não percebe, em seu esquema fanático, que a sua justiça não é muito mais que intolerância moralista" (leia aqui).

O magistrado diz que, "embora críticas a qualquer autoridade pública sejam bem-vindas e ainda que seja importante manter um ambiente pluralista", o jornal deveria evitar "a publicação de opiniões panfletárias-partidárias e que veiculam somente preconceito e rancor, sem qualquer base factual".

Leia a íntegra da carta de Moro, publicada nesta quarta:

LAVA JATO

Lamentável que um respeitado jornal como a Folha conceda espaço para a publicação de artigo como o "Desvendando Moro", e mais ainda surpreendente que o autor do artigo seja membro do Conselho Editorial da publicação. Sem qualquer base empírica, o autor desfila estereótipos e rancor contra os trabalhos judiciais na assim denominada Operação Lava Jato, realizando equiparações inapropriadas com fanático religioso e chegando a sugerir atos de violência contra o ora magistrado. A essa altura, salvo por cegueira ideológica, parece claro que o objeto dos processos em curso consiste em crimes de corrupção e não de opinião. Embora críticas a qualquer autoridade pública sejam bem-vindas e ainda que seja importante manter um ambiente pluralista, a publicação de opiniões panfletárias-partidárias e que veiculam somente preconceito e rancor, sem qualquer base factual, deveriam ser evitadas, ainda mais por jornais com a tradição e a história da Folha. SERGIO FERNANDO MORO, juiz federal (Curitiba, PR)

NOTA DA REDAÇÃO - Os artigos publicados na página Tendências/Debates não traduzem a opinião do jornal, que é expressa nos editoriais sem assinatura da pág. A2.


1 comentários:

Unknown disse...

A introdução do artigo do Rogério Cezar já dá uma prévia do festival de estupidez que seguirá:
"O húngaro George Pólya, um matemático sensato, o que é uma raridade..."
Sensatos seriam os intelectuais orgânicos de Gramsci...

Em seguida, sem saber o que é uma analogia, faz a analogia inversa à pretendida: cita o exemplo do padre moralista Girolamo Savonarola, cujas críticas à Igreja, dentro do contexto, seriam justas e coerentes, na pretensão de fazer um paralelo com a atuação de Moro, entendida como parcial e descabida. Analfabetismo funcional vergonhoso!

Pior que o analfabetismo foi a demonstração patética de auto-projeção da esquerda, o velho hábito de projetar a própria torpeza num inimigo imaginário, chegando ao ponto de afirmar que Moro não busca o cumprimento da Lei, mas apenas derrubar um messias do povo que ousou usurpar o poder da classe dominante! Eu li uma merda dessas na folha de são paulo???? Tempos estranhos...

[ Deixe-nos seu Comentário ]