São Gonçalo do Amarante - Ceará - Brasil - sábado 19 de agosto de 2017 - Ano: IX - Edição: 3.222 - Visualizações: 17.954.957 - Postagens: 31.406

Professores da UFC, Unilab e UFCA entram em greve até 13 de dezembro


Assembleia realizada ontem aprovou greve por tempo determinado. Professores se unem a estudantes e servidores contra a PEC 55, que tramita no Senado Federal e estabelece limite de gastos públicos por 20 anos

19/11/2016

Professores da Universidade Federal do Ceará (UFC) aprovaram greve da categoria, por tempo determinado, durante assembleia na manhã de ontem realizada no auditório Reitor Ícaro de Sousa, no Campus do Pici. Estudantes e servidores técnico-administrativos da instituição já estão em greve. 

O comando de greve do Sindicato dos Docentes das Universidades Federais do Estado do Ceará (Adufc) definiu que a paralisação seguirá até o dia 13 de dezembro, quando está prevista a votação em 2º turno da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 55, no Senado Federal. A proposta estabelece um teto para os gastos públicos nos próximos 20 anos.

A paralisação reúne ainda docentes da Universidade Federal do Cariri (UFCA) e da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab).

Na votação de ontem, que começou às 9 horas e seguiu até as 13h40min, foram contabilizados 211 votos a favor da greve e 190 contrários ao movimento.

Esta é a segunda votação deliberativa sobre greve realizada pela Adufc em menos de um mês. Nos dias 31 de outubro e 1º de novembro, a categoria havia se posicionado contra a greve, daquela por vez por tempo indeterminado. A decisão foi tomada mediante plebiscito seguido de assembleia, quando foram contabilizados 913 votos contrários ao movimento paredista e 666 a favor.

Conforme o sindicato, a greve com data para se encerrar não precisa de um plebiscito para ser efetivada como exigem as greves por tempo indeterminado.

“Autonomia sindical”

Em nota, a UFC afirma que recebeu, às 17h45min de ontem, o comunicado da Adufc sobre a deflagração de greve dos docentes por tempo determinado. “A Reitoria respeita a autonomia da entidade sindical”, declara a universidade. 

Foram procuradas as assessorias de comunicação da UFCA e da Unilab, cujos docentes também estiveram presentes na assembleia e votaram pela greve. As ligações, feitas para telefones fixos a partir da 17 horas não foram atendidas. 

Saiba mais 

Ocupações pelo País

Nota divulgada ontem pela União Nacional dos Estudantes informa que, em todo o País, 224 instituições de ensino superior têm ocupações. Considerando apenas o Ceará, a instituição registra ocupações na Universidade Federal do Cariri (UFCA, no Crato e em Juazeiro do Norte), na Universidade Federal do Ceará (UFC, em Fortaleza), no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE, no Campus Iguatu) e também na Universidade Regional do Cariri (Urca, nos campi Pirajá e Juazeiro do Norte).

Reivindicação
Conforme a UNE, as ocupações são contra a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 55 (antiga 241), que congela investimentos na Saúde, Educação e Assistência Social pelos próximos 20 anos.

Além disso, os estudantes estão protestando contra a Medida Provisória (MP) 746, que reestrutura o ensino médio e o projeto Escola sem Partido, a qual cham de “lei Mordaça”. 


0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]