São Gonçalo do Amarante - Ceará - Brasil - sábado 21 de outubro de 2017 - Ano: X - Edição: 3.291 - Visualizações: 18.935.765 - Postagens: 32.192

ALEX SOLNIK | Moro e Janot desmoralizados pela Justiça americana

É a desmoralização de Rodrigo Janot e de Sergio Moro! E de seus métodos autoritários

Por: Alex Solmik | 23/12/2016

A Justiça americana deu um tapa com luva de pelica no Judiciário e na imprensa brasileira.

Enquanto aqui assistimos a um festival de delações, vazamentos de delações e vivemos o império da desinformação e da contrainformação, em virtude do sigilo seletivo imposto pelas autoridades, alegremente compartilhado pela imprensa, a Justiça americana informa, em primeira mão, quanto a Odebrecht pagou em propina a quantos políticos brasileiros nos últimos anos.

É uma humilhação!

O Brasil fica sabendo depois dos Estados Unidos a respeito do que acontece aqui dentro.

É a desmoralização de Rodrigo Janot e de Sergio Moro! E de seus métodos autoritários.

A diferença não consiste apenas na rapidez da informação – que o Ministério Público comandado por Janot já tinha, mas não dava a público – mas também na forma.

A moda aqui é divulgar listas, com centenas de políticos, e fomentar, assim, um clima de comoção e de fim de mundo.

Fazer acusações baseadas em suposições por meio de power-point em rede nacional de televisão a pessoas que sequer foram julgadas.

Lá, não: informaram com toda a sobriedade exigida que os destinatários de 1 bilhão de reais distribuídos pela empreiteira de 2001 a 2016 são apenas 14 políticos e os identificaram apenas por números e descrição de cargos, e não por nomes, como se costuma fazer por aqui, porque só se divulga nomes depois que seus portadores são condenados.

Divulgar antes equivale a uma condenação prévia.

Eis como funciona a Justiça num país democrático.

Os americanos gostam da atuação de Moro no Brasil, mas não usam os seus métodos.

Ou seja, Moro é bom para o Brasil, mas não para os Estados Unidos.


*Alex Solnik é jornalista. Já atuou em publicações como Jornal da Tarde, Istoé, Senhor, Careta, Interview e Manchete. É autor de treze livros, dentre os quais "Porque não deu certo", "O Cofre do Adhemar", "A guerra do apagão" e "O domador de sonhos"

0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]