São Gonçalo do Amarante - Ceará - Brasil - sexta-feira 18 de agosto de 2017 - Ano: IX - Edição: 3.221 - Visualizações: 17.954.957 - Postagens: 31.406

Eunício Oliveira, o Índio, teria recebido R$ 2,1 milhões pela venda de Medidas Provisórias

Eunício Oliveira - o Índio

O senador Eunício Oliveira (PMDB-CE), que era cotado para substituir Renan Calheiros (PMDB-AL) na presidência do Senado, também foi atingido no peito pela delação da Odebrecht; Eunício, apelidado de Índio, teria recebido, segundo o delator Cláudio Melo Filho, R$ 2,1 milhões para facilitar uma medida provisória que concedeu incentivos tributários à indústria petroquímica, onde quem manda é a empreiteira, dona da Braskem; o diretor da Odebrecht diz ter relatado ao patrão Marcelo que Eunício estava obstruindo a MP. "Que maluquice, o que ele ganha com isso?", questionou Marcelo. "O de sempre", respondeu Melo Filho

10 de Dezembro de 2016

O senador Eunício Oliveira (PMDB-CE), que era cotado para subsituir Renan Calheiros (PMDB-AL) na presidência do Senado em 2017, também foi atingido no peito pela delação da Odebrecht.

Eunício, apelidado de Índio, teria recebido, segundo o delator Cláudio Melo Filho, R$ 2,1 milhões para facilitar uma medida provisória que concedeu incentivos tributários à indústria petroquímica, onde quem manda é a empreiteira, dona da Braskem.

Segundo o delator Claudio Melo Fillho, os pagamentos teriam sido recolhidos por Ricardo Augusto, sobrinho e preposto do senador cearense.

"O valor foi dividido em duas parcelas, sendo uma paga em Brasília e outra paga em São Paulo, entre outubro de 2013 e janeiro de 2014", disse Melo Filho.

O diretor da Odebrecht diz ter relatado ao patrão Marcelo que Eunício estava obstruindo a MP. "Que maluquice, o que ele ganha com isso?", questionou Marcelo. "O de sempre", respondeu Melo Filho.

Todos os pagamentos, que também teriam envolvido os senadores Romero Jucá (PMDB-RR) e Renan Calheiros (PMDB-AL), seriam contrapartidas pela MP 613, que teria permitido à Odebrecht economizar muito mais em impostos.


0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]