São Gonçalo do Amarante - Ceará - Brasil - sexta-feira 15 de dezembro de 2017 - Ano: X - Edição: 3.346 - Visualizações: 19.638.129 - Postagens: 32.192

Lava Jato de Sérgio Moro virou uma conspiração contra a candidatura de Lula em 2018


Por meio de nota do Instituto Lula, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticou a nova ação contra ele, recebida pelo juiz Sérgio Moro nesta segunda-feira, 19; Lula negou que tenha recebido qualquer vantagem indevida, disse que a sede do instituto nunca foi outra a não ser o sobrado onde funciona até hoje, e afirma que a Lava Jata se transformou numa perseguição contra ele; "A Lava Jato, que começou investigando desvios na Petrobras, se tornou uma perseguição ao ex-presidente Lula, aceitando ações capengas e sem provas sobre um apartamento que o ex-presidente aluga e um terreno que jamais foi pedido ou usado pelo Instituto Lula para justificar uma perseguição política que tem como objetivo impedir que Lula seja candidato em 2018. O ex-presidente continuará a se defender na Justiça", diz o ex-presidente na nota

19 DE DEZEMBRO DE 2016 

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva se manifestou nesta segunda-feira, 19, sobre a decisão do juiz Sérgio Moro, que aceitou nova ação do Ministério Público Federal (MPF) contra ele no âmbito da operação Lava Jato. Com a decisão, Lula passa a ser réu em cinco ações penais.

Por meio de nota do Instituto Lula, o ex-presidente negou que tenha recebido qualquer vantagem indevida e disse que a sede do instituto nunca foi outra a não ser o sobrado onde funciona até hoje, adquirido em 1990 pelo Instituto de Pesquisas e Estudos do Trabalhador (IPET).

"A Lava Jato, que começou investigando desvios na Petrobras, se tornou uma perseguição ao ex-presidente Lula, aceitando ações capengas e sem provas sobre um apartamento que o ex-presidente aluga e um terreno que jamais foi pedido ou usado pelo Instituto Lula para justificar uma perseguição política que tem como objetivo impedir que Lula seja candidato em 2018. O ex-presidente continuará a se defender na Justiça", diz o ex-presidente na nota.

Lula é acusado de dos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro em supostos desvios de contratos entre a Petrobras e a Odebrecht. Outras oito pessoas também foram denunciadas, entre elas o advogado de Lula, Roberto Teixeira, a ex-primeira-dama Marisa Letícia, além de Marcelo Odebrecht, ex-presidente do grupo Odebrecht.

A defesa do ex-presidente também se manifestou sobre a nova ação. Para Cristiano Zanin Martins, o que se observa é a "ânsia desmesurada e crescente de prover acusações a Lula em tempo recorde". "Não houve qualquer investigação isenta, mas uma sequência de fatos produzidos para sustentar a abertura de inúmeros procedimentos frívolos e sem materialidade contra Lula, com o único intuito de impedir o sucesso de suas atividades políticas", diz o advogado.

Leia na íntegra a nota do Instuto Lula:

"Um apartamento alugado e um terreno que nunca foi do Instituto Lula - As novas invenções da Lava Jato Contra Lula

O Instituto Lula reafirma que nunca teve outra sede a não ser o sobrado onde funciona até hoje, adquirido em 1990 pelo Instituto de Pesquisas e Estudos do Trabalhador (IPET). O Instituto sempre recebeu doações legais, declaradas e dentro da lei. O ex-presidente Lula nunca solicitou vantagens indevidas e sempre agiu dentro da lei antes, durante e depois da presidência da República.

A Lava Jato, que começou investigando desvios na Petrobras, se tornou uma perseguição ao ex-presidente Lula, aceitando ações capengas e sem provas sobre um apartamento que o ex-presidente aluga e um terreno que jamais foi pedido ou usado pelo Instituto Lula para justificar uma perseguição política que tem como objetivo impedir que Lula seja candidato em 2018. O ex-presidente continuará a se defender na Justiça."


1 comentários:

Manoel Oliveira disse...

ESSA TURMA AINDA VAI ARRASAR O ROSCOPI ISSO E, O ANUS NO CHÃO, UM DIA PODE ESPERAR

[ Deixe-nos seu Comentário ]