São Gonçalo do Amarante - Ceará - Brasil - quarta-feira 13 de dezembro de 2017 - Ano: X - Edição: 3.344 - Visualizações: 19.638.129 - Postagens: 32.192

Sérgio Moro faria um grande bem à democracia assumindo candidatura



O Doutor Moro faria um grande bem à democracia se a despisse e assumisse o papel político que se dispôs a representar


POR FERNANDO BRITO · 04/12/2016

As manifestações de hoje, até agora nem imensas, nem pequenas, mostram que existe hoje, na classe média brasileira, o “Partido do Sérgio Moro”, o PSM.

A turma que está na rua, hoje, é dele. Dele e de sua tropa de choque do Ministério Público.

Uma espécie de neo-UDN (ao contrário da antiga, cujo núcleo era o Rio, sediada em São Paulo) que o PSDB sempre teve vergonha em ser.

Seu “Brigadeiro” é o juiz curitibano e sua farda é a toga.

O Doutor Moro faria um grande bem à democracia se a despisse e assumisse o papel político que se dispôs a representar.

Não se diga que isso seria “acabar com a Lava Jato”, porque o juiz, num processo, é impessoal e  quem  o substituiria seria outro juiz federal, do qual não se poderia suspeitar.

Mas teria o condão de estabelecer, ao menos, uma certa separação ao que não se consegue mais ver como ações distintas: justiça e política.

Política termina no voto, que é popular – ao menos por enquanto – e Justiça termina na sentença, que é de um ou de poucos.

A política é controlável – para isso existe a Justiça – mas a Justiça não é, porque ninguém pode anular decisões que lhe são exclusivas.

Será que é por isso que o Dr. Moro não assume, de vez, que o que faz é política?

Porque, afinal de contas, nela todos se submetem ao grande e supremo juiz: o povo brasileiro.


0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]