São Gonçalo do Amarante - Ceará - Brasil - quinta-feira 14 de dezembro de 2017 - Ano: X - Edição: 3.345 - Visualizações: 19.638.129 - Postagens: 32.192

DOM ORVANDIL | Por que Marisa Letícia Lula da Silva sofreu AVC?

Marisa Letícia sofre AVC que a jogou no coma induzido no Hospital Sírio Libanês em São Paulo. Por que isso aconteceu já que o acidente cerebral identificado pelos exames é produto de pressão sanguínea no crânio? Não é preciso ser médico, psiquiatra ou psicólogo para entender que a caçada brutal de que Lula e sua família são alvos é fator seriamente causante desse aneurisma e do risco de morte da guerreira Marisa

Dom Orvandil - Editor do blog Cartas e Reflexões Proféticas, presidente da Ibrapaz, bispo da Diocese Brasil Central da Igreja Anglicana e professor universitário

29/01/2017

Falei neste vídeo do canal CRP sobre terrível postura das mulheres à frente do Hospital Sírio Libanês em São Paulo.

Duas avós protestavam contra a ex primeira dama Marisa Letícia por sua hospitalização num hospital usado pela elite branca e endinheirada de São Paulo e do Brasil.

O mal estar representado pela dupla feminina em desrespeito violento e desumano contra outra mulher, avó, mãe, esposa talvez semelhante às falsas protestantes, mas de relevantes serviços políticos prestados ao povo brasileiro, nada parecidos com as duas estridentes sedentas de holofotes.

Chamei essas mulheres de histéricas não por raiva fútil nem com o mesmo alarido dos coxinhas, que ofendem e, ao modo do caçador assustado, atiram seus dejetos para depois olharem suas vítimas, quando o fazem.

As duas madames empunhando cartazes mostraram caráter histérico, como ensinam Freud e Reich. Uma das características dessa definição é o exibicionismo irrefletido e impulsivo. A histeria como predominância nas pessoas de caráter histérico as faz copiar ideias e comportamentos que acham interessantes no momento, para abandoná-los rapidamente e trocar por outros mais alucinantes.

A histeria pode ser também social e coletiva. As pesquisas identificam isso que a psicologia chama de “doença” como vivência de grupos fechados quando as pessoas se desatinam fazendo ações não planejadas, impensadas e sem previa combinação, mas todos se comportando da mesma maneira como se uma força poderosa as comandasse a agir no mesmo padrão e no mesmo sentido.

A histeria pode igualmente acionar populações inteiras a agir como boiada, como aconteceu na Alemanha de Hitler e na Itália de Mussolini  quando aqueles povos, incluindo boa parte de seus intelectuais, pastores e padres a  engrossarem o apoio ao desastre que quase extinguiu a humanidade. Wilhelm Reich, na sua bela obra Psicologia de Massas do Fascismo.  define este como peste que toma conta das mentes e comportamentos da população inteira, incluindo pessoas que longe desse fenômeno seriam definidas como pacatas e serenas.

Desde 2013 com as manifestações de ruas, tomadas por coxinhas e brancos misturados aos seus trabalhadores negros e pobres, a peste “histeria coletiva” modela atitudes violentas, estridentes e estranhas às pessoas aparentemente bem comportadas fora dessas junções tresloucadas.

Gestos, textos e discursos histéricos tomam as redes sociais com ofensas e, em forma de injúria, calúnia e difamação contra as pessoas de que os mobilizados pela peste emocional julgam os diferentes e decidem por sua eliminação.

Além dessas formas listadas, 2016 findou e 2017 iniciou com atos brutais de extermínios e atentados com o objetivo de extinguir imagens e até fisicamente as pessoas. Igrejas, escolas, as ruas, as famílias, a mídia e todos os espaços são palcos para a realização dos impulsos de morte dos histéricos.

Lula e Marisa são alvos certeiros da insanidade histérica ao ponto de as ameaças perderem todo e qualquer bom senso.

Marisa Letícia sofre AVC que a jogou no coma induzido no Hospital Sírio Libanês em São Paulo.

Por que isso aconteceu já que o acidente cerebral identificado pelos exames é produto de pressão sanguínea no crânio?

Não é preciso ser médico, psiquiatra ou psicólogo para entender que a caçada brutal de que Lula e sua família são alvos é fator seriamente causante desse aneurisma e do risco de morte da guerreira Marisa.

Não há dia em que não saiam noticiais (no plural) contra Lula acusando-o de algum crime praticado pelo ex-presidente, embora nenhuma prova corrobore com as convicções dos acusadores. Assim contra Marisa e os filhos do casal.

É fácil imaginar quanta pressão e até medo deles em meio a verdadeira guerra sem ética com fins políticos perversos.

A histeria que incendia os espíritos dos desavisados não nasce do nada nem cai de cima. Seus focos transparecem numa simples análise.

As fontes alimentadoras de acidentes do tipo que colocam a ex primeira dama em risco e que jogam fanáticos à frente do Hospital onde ela está em coma a gritar impropérios e nas redes sociais a desejar a morte da guerreira são a lava jato com seus juízes, promotores e policiais federais  destruidores das empresas chaves à estratégia do Brasil, que não titubeiam em fornecer material para a histeria coletiva.

Nesta sexta feira o delegado da policia federal Igor Romário de Paula previu publicamente a prisão do ex-presidente Lula. Sem nenhuma prova que incrimine aquele que tem sua vida devassada e nada encontrado de errado Igor julga e prende o alvo de seu ódio.

Consideração pela aflição de Lula e sua família com a doença de Marisa? Nenhuma!

Espantosamente esse delegado fez campanha para Aécio Neves à presidência da república. Portanto, trata-se de alguém com opção partidária que faz alarido histérico com interesses políticos mesquinhos.

Onde está a ética minimamente humana que fundamenta o respeito ao ser humano mesmo que sua posição filosófica, ideológica e política seja diferente? Onde a solidariedade que deveria ser prestada às pessoas nos momentos extremos de suas vidas, mesmo que suas visões sejam divergentes?

Das tribunas da Câmara e do Senado o que se viu até o final de 2016 foram chamas de ódio derramadas contra os pobres, os negros, os trabalhadores, os homossexuais e os comunistas. Algo diferente do nazismo alemão responsável pelo holocausto?

A mídia compõe-se como canal privilegiado de escoamento da histeria que nasce das fontes identificadas e se esparrama pelo senso comum, que a assimila como programa de vida e como ideologia militante.

Marisa Letícia é vítima da histeria calculada, que se tornou peste emocional e política acriticamente generalizada.

Marisa corre riscos. Os trabalhadores perdem empregos e a democracia mingua. A indústria nacional é boicotada e o Brasil é exposto à pirataria internacional com seu povo cada vez mais fragilizado.

Cabe-nos ampliar e aprofundar os focos contra essa peste histérica, organizando-nos e retomando a democracia rebaixada pelos focos da histeria feitos golpe de Estado.


Brasil 247

0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]