São Gonçalo do Amarante - Ceará - Brasil - terça-feira 17 de outubro de 2017 - Ano: X - Edição: 3.287 - Visualizações: 18.935.765 - Postagens: 32.192

Lula cobra R$ 1 milhão por danos morais de ‘promoteco’ que o atacou


Defesa do ex-presidente entrou com ação de reparação por danos morais nesta quinta-feira 12 contra o promotor de Justiça Cassio Roberto Conserino, do Ministério Público do Estado de São Paulo, em que "pede que Conserino seja condenado a pagar R$ 1 milhão a título de indenização ao ex-Presidente, levando-se em consideração a extensão dos danos causados e, ainda, a capacidade econômico-financeira do citado agente público"; os advogados apontam "a utilização das prerrogativas e do cargo de Promotor de Justiça pelo réu para causar danos à imagem, à honra e à reputação de Lula", lembram que o promotor abandonou a causa após a Justiça excluir Lula da sua esfera de atuação funcional e de postagem em que o petista é tratado como "Encantador de Burros" na página de Conserino no Facebook

12 DE JANEIRO DE 2017

A defesa do ex-presidente Lula entrou com uma ação de reparação por danos morais nesta quinta-feira 12 contra o promotor de Justiça Cassio Roberto Conserino, do Ministério Público do Estado de São Paulo, em que "pede que Conserino seja condenado a pagar R$ 1 milhão a título de indenização ao ex-Presidente".

Leia a íntegra da nota dos advogados:

Nota

Na condição de advogados do ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, protocolamos hoje (12.01.2017) ação de reparação por danos morais contra o Promotor de Justiça Cassio Roberto Conserino, do Ministério Público do Estado de São Paulo.

A ação deverá ser distribuída a um das Varas Cíveis de São Bernardo do Campo, onde Lula reside, e pede que Conserino seja condenado a pagar R$ 1 milhão a título de indenização ao ex-Presidente, levando-se em consideração a extensão dos danos causados e, ainda, a capacidade econômico-financeira do citado agente público.

Na ação foi demonstrada: (i) a utilização das prerrogativas e do cargo de Promotor de Justiça pelo réu para causar danos à imagem, à honra e à reputação de Lula; (ii) atuação dolosa do réu no exercício de suas funções confirmada por dois fatos supervenientes: (a) o abandono da causa pelo réu, após a Justiça excluir Lula da sua esfera de atuação funcional (alegando "motivo de foro íntimo") e, ainda, (b) pela reprodução e divulgação de publicação manifestamente ofensiva ao ex-Presidente (tratado como "Encantador de Burros") em conta do réu em rede social (Facebook).

No último dia 9/11, o Conselho Nacional do Ministério Público instaurou Reclamação Disciplinar contra o Promotor Conserino, em atenção a requerimento que fizemos levando em consideração parte dos mesmos fatos tratados na ação judicial hoje proposta.​

O documento está disponível em www.averdadedelula.com.br

Cristiano Zanin Martins e Roberto Teixeira


0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]