São Gonçalo do Amarante - Ceará - Brasil - sexta-feira 18 de agosto de 2017 - Ano: IX - Edição: 3.221 - Visualizações: 17.954.957 - Postagens: 31.406

Jovem de Goiânia que devolveu celular e pediu emprego como recompensa é contratado


25/02/2017 - Dois dias depois de ficar conhecido por devolver um celular achado na porta de uma festa e pedir como recompensa uma chance de trabalho, Pablo Júnior Oliveira de Paula, 16 anos, foi contratado. O adolescente, morador de Goiânia e que sonha um dia ser juiz, vai trabalhar na Associação de Magistrados do Estado de Goiás (Asmego). A história de Pablo ficou conhecida depois que ele devolveu um smartphone que encontrou para o dono, o analista de redes Nikolas Soares Valério. Quando Nikolas ofereceu R$ 200 como recompensa pela devolução, o adolescente surpreendeu e recusou o dinheiro. Em troca, pediu ajuda para conseguir um emprego. Pablo contou que desde 2010, quando o pai morreu, passou a trabalhar para ajudar no orçamento da família, que conta com mais três irmãos e a mãe, Lucilene Oliveira. Comovido, Nikolas divulgou a história em uma rede social, pedindo ajuda para o jovem. O episódio se espalhou pela internet — em poucas horas, foi compartilhada por 2 mil usuários — e chegou aos diretores Financeiro e de Comunicação da Asmego, Clauber Costa Abreu e Eduardo Perez, respectivamente. Os dois entrevistaram o garoto e o contrataram como auxiliar de almoxarifado. “O ato dele foi de extrema honestidade e uma prova de que ele tem caráter. Agora, a única condição é que ele assuma o compromisso de voltar aos estudos“, conta disse Clauber Abreu. O horário de trabalho de Pablo será flexível para que ele possa concluir o ensino médio e tentar uma vaga na faculdade de direito, perseguindo assim a carreira de juiz. “Fico feliz de poder ajudar minha mãe a montar a confecção dela”, conta o garoto. “Acho que só a honestidade faz a gente entrar e sair de qualquer lugar. Fico feliz em poder mostrar que nós jovens ainda podemos dar orgulho, principalmente para nossos pais”, confessa, emocionado.


0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]