São Gonçalo do Amarante - Ceará - Brasil - quarta-feira 13 de dezembro de 2017 - Ano: X - Edição: 3.344 - Visualizações: 19.638.129 - Postagens: 32.192

Urubóloga da Globo, enfim, culpa Michel Temer pelo maior rombo fiscal da história



A jornalista Miriam Leitão, ‘colonista’ do Globo, finalmente responsabilizou Michel Temer, ainda que parcialmente, pelo maior descalabro fiscal da história do País; O déficit do ano passado representou uma piora significativa nas contas públicas e há dúvidas sobre se o governo vai cumprir a meta deste ano. A situação fiscal é dramática. O governo Temer concedeu aumentos salariais a servidores que vão continuar elevando as despesas nos próximos anos, disse a jornalista


5 de Fevereiro de 2017

A jornalista Miriam Leitão, colunista do Globo, finalmente responsabilizou Michel Temer, ainda que parcialmente, pelo maior descalabro fiscal da história do País; em seu primeiro ano, Temer, produziu o maior rombo da história do País, de R$ 155 bilhões, e elevou a dívida interna em 11 pontos do PIB; no segundo, não conseguirá cumprir sua meta fiscal, que já prevê um rombo de R$ 139 bilhões.

Abaixo, um trecho de sua coluna:

O déficit do ano passado representou uma piora significativa nas contas públicas e há dúvidas sobre se o governo vai cumprir a meta deste ano. A situação fiscal é dramática. O governo Temer concedeu aumentos salariais a servidores que vão continuar elevando as despesas nos próximos anos. Em 2017, o Orçamento conta com receitas não garantidas. O país permanece afundado no atoleiro das contas públicas.

O governo se apresenta como reformista e fiscalista porque aprovou o teto de gastos e quer fazer a reforma da previdência. Isso é uma parte dos fatos. Mas ao assumir ele concedeu aumentos a várias categorias do funcionalismo divididos pelos anos seguintes. As parcelas vão elevar os custos até depois do fim deste mandato. Essa é a mesma armadilha que foi construída pelo PT no Rio Grande do Sul. Agora o estado está quebrado, mas tem que dar aumento aos funcionários todos os anos.

Na semana passada, o governo Temer criou um ministério e recriou outro. Um dos seus acertos havia sido a redução do número de pastas. No ano passado, ao assumir, o governo disse que iria explicitar o déficit que estava escondido em um orçamento que contava com receitas não garantidas. Agora, ele também está contando com receitas que podem não se realizar. Por isso, vários economistas estão refazendo os cálculos sobre quanto terá que ser cortado do Orçamento para se chegar à meta, que é um déficit de R$ 139 bilhões.


1 comentários:

Manoel Oliveira disse...

ESSES URUBÓLOGOS, E O CRIME ORGANIZADO MATARAM A DONA MARISA O GERALDO ALCKMIN VAI SER PRESO ,PODEM ESPERAR FACHIN, VAI DA A ESSE DR. DO CRIME ORGANIZADO, UM MATA PIOLHO, EM SEU QUENGO, FEDORENTO.

[ Deixe-nos seu Comentário ]