São Gonçalo do Amarante - Ceará - Brasil - quinta-feira 25 de maio de 2017 - Ano: IX - Edição: 3.137 - Visitas: 16.658.521 - Postagens: 31.078

Governo golpista e corrupto está todo na lista de Rodrigo Janot


Pedidos de inquérito feitos pelo procurador-geral Rodrigo Janot confirmam: o golpe de 2016 foi uma conspiração de políticos corruptos contra uma presidente honesta, Dilma Rousseff, com a finalidade de estancar a sangria da Lava Jato; além de Eliseu Padilha, estão na lista o atual chanceler Aloysio Nunes, o ex José Serra, o ministro Moreira Franco e senadores como Romero Jucá, Eunício Oliveira e Edison Lobão, assim com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e o líder maior do golpe, senador Aécio Neves; conspiração golpista já destruiu a economia brasileira, mas a classe política ainda fará de tudo para se salvar


14 DE MARÇO DE 2017

Os principais articuladores que derrubaram a presidente Dilma Rousseff e tomaram a Presidência por meio de um golpe parlamentar estão na nova edição da Lista de Janot.

Entre os 83 pedidos de investigação que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, protocolou nesta terça-feira, 14, estão pelo menos cinco ministros do governo de Michel Temer: Eliseu Padilha (Casa Civil), Moreira Franco (Secretaria-Geral da Presidência), Bruno Araújo (Cidades), Gilberto Kassab (Ciência e Tecnologia e Comunicações) e Aloysio Nunes Ferreira (Relações Exteriores).

O articulador do golpe, o senador Aécio Neves (PSDB), também está na lista com pedido de investigação. Além de Aécio, o PGR pediu abertura de inquéritos contra os presidentes do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), e da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), além dos senadores Renan Calheiros (PMDB-AL), Romero Jucá (PMDB-RR), Edison Lobão (PMDB-MA) e José Serra (PSDB-SP).

Os pedidos são relacionados às delações premiadas de 77 delatores ligados à Odebrecht, segundo a PGR. Há, no entanto, mais um delator da Odebrecht, cujo acordo foi homologado pelo tribunal.


0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]

INFORMES DA JUSTIÇA ELEITORAL