São Gonçalo do Amarante - Ceará - Brasil - terça-feira 27 de junho de 2017 - Ano: IX - Edição: 3.169 - Visualizações: 16.810.098 - Postagens: 31.078

O tamanho de cada um


Por Fernando Brito · 19/03/2017

Alguém com muita propriedade, disse no Facebook que é bom lembrar que não é a Avenida Paulista, mas Monteiro, na Paraíba, com 30 mil habitantes – e perceber  que só a violência pode impedir que Lula possa se tornar a esperança de arrancar o Brasil desta situação de carne podre que nos levaram.

Numa mesma tarde de domingo, um homem cercado por uma multidão, comemorando com os sertanejos a chegada da água há 200 anos prometida.

Do outro, um homúnculo gaguejando garantias aos estrangeiros de que a carne que, a muito custo, o país conseguiu exportar, não está arruinada pela conjugação de uma polícia espalhafatosa e de um ministro Salmonella (copyright Luis Costa Pinto) que se meteu em promiscuidades para segurá-lo à frente da fiscalização.

Dias atrás, com o povo devidamente “desinfetado” da paisagem a miniatura de presidente que temos posava num sertão, apesar da água, deserto.

Entre todas as abissais diferenças entre eles, nenhuma é maior que essa.

Um é fraco, covarde, omisso, e presta contas ao “mercado” com seu arrocho sobre os gastos sociais.

O outro, inteiro apesar do câncer, da perseguição implacável da mídia e de juizecos que nunca fizeram nada pelo povo brasileiro senão empinar o nariz, presta contas ao povo humilde, porque fez o que quase  nunca se fez neste país.

E por isso mesmo é quem tem capacidade de catalizar a energia, a esperança e a força deste povo para arrancar o Brasil do monturo em que está soterrado.

Um é uma historinha mal contada, um acidente trágico do destino.

O  outro é História, com H maiúsculo.

Tijolaço         

0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]