São Gonçalo do Amarante - Ceará - Brasil - domingo 20 de agosto de 2017 - Ano: IX - Edição: 3.223 - Visualizações: 17.954.957 - Postagens: 31.406

Travesti Dandara dos Santos é espancada até a morte no Bom Jardim


A morte de Dandara dos Santos, no último dia 15 de fevereiro, foi filmada pelos agressores e vídeo viralizou ao longo do dia de ontem


04/03/2017

Dezesseis dias se passaram desde que a travesti Dandara dos Santos, de 42 anos, foi agredida até a morte no bairro Bom Jardim. Uma violência que ficaria na invisibilidade, não tivesse se tornado público o vídeo que registra a ação criminosa e que viralizou nas redes sociais, com repercussão nacional ao longo do dia de ontem. Até agora ninguém foi preso.

Sobre o assunto
Outra travesti foi vítima de espancamento coletivo em fevereiro

“Suba, suba! Não vai subir, não?!”, bradam agressivamente três homens, que aparecem no início do vídeo, enquanto Dandara, sentada ao chão, mal consegue se mover. Eles querem que ela suba num carro de mão. Ela chora. “Sobe logo! A ‘mundiça’ tá de calcinha e tudo”, zomba outro que filma. 

Uma sequência de ofensas de gênero, chutes, tapas, golpes com madeira. A maioria mira a cabeça, já com muito sangue. Dandara tenta subir no carro de mão, sem conseguir. Até que os algozes a levantam e a jogam no carro de mão. Ela morreu no último dia 15 de fevereiro. 

Pelo menos cinco jovens aparecem no vídeo com 1 minuto e 20 segundos de tortura, que circula na internet. 

Para a pesquisadora de gênero e sexualidade Helena Vieira, histórias que envolvem agressões contra travestis têm múltiplos contextos. “Às vezes é violência puramente de ordem transfóbica. Mas a marca do ódio é grande. Sempre inclui tortura, espancamento, esquartejamento”, pontuou. 

A investigação

Segundo o titular do 32º DP (Bom Jardim), delegado Bruno Ronchi, os envolvidos no crime foram identificados, mas ainda não foram presos. Além das pessoas que participaram do vídeo, outros criminosos são apontados como responsáveis pelo homicídio. O delegado diz que aguarda o poder judiciário. “Dois dias depois do crime recebemos o vídeo e buscamos a identificação. Não foram somente as pessoas que estavam no vídeo. Era necessário apurar o homicídio em si. Houve detalhes do crime que precisaram ser esclarecidos”, relata. 

Segundo Ronchi, o crime foi movido por homofobia. “Foi levantada outra hipótese, mas teve a homofobia. A causa e a continuidade das atitudes foi homofóbica”, afirma. 

Após a Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) realizar os primeiros levantamentos do crime, o caso foi encaminhado ao 32º DP, que esteve no local. 

Bruno Ronchi afirma que o caso não estava sendo amplamente divulgado para não prejudicar as investigações e a viralização do vídeo é prejudicial, pois os autores têm acesso fácil ao material e fogem. Segundo o delegado, os envolvidos são adolescentes que já têm passagem pela Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA) e são conhecidos por atos infracionais violentos no Grande Bom Jardim. (Luana Severo e Jéssika Sisnando). 

Saiba mais
  
Moradores do Conjunto Ceará, onde Dandara morava, afirmavam revolta e tristeza ontem, nas redes sociais. Diziam que Dandara era figura carismática no bairro, frequentadora do Polo de Lazer. Outras pessoas relatavam, nas redes sociais, que o caso ganhava repercussão em outros estados. Um dos comentários dizia que, mesmo o crime acontecendo no dia 15 de fevereiro, só se teve conhecimento agora, após a divulgação do vídeo. 

O coordenador da Diversidade Sexual de Fortaleza, Paulo Diógenes, publicou no Facebook que a pasta e o Centro de Referência LGBT Janaina Dutra entraram em contato com o advogado Hélio Leitão, que se disponibilizou para acompanhar a investigação, junto ao Ministério Público e à Polícia Civil.


5 comentários:

Anônimo disse...

os morto de fomi pe de xenelo que agrediro ela sào ums vermis mas aquelis que istavào asistino rindo si divertino e nada fiserào sào o lixo que prodos alimenta e cria vermis dispresavel como elis porque quando botào ela no carinho se ouvi benisimo a vois de um infelis que rino fala vào matar o bixo

Anônimo disse...

a maioria dos ditos omofobico sào omosexsual incapas de asumir a sua omosexsulidade que tentào mostra pra familha pros amigos que nào e aquilo que eli senti e pensa que os outros tào vendo emtào procura mostra que nào e aquilo que eli e diferemti

Anônimo disse...

discupen si eu nào poso dizer o que penso fazer o que gostso sem agredir a itegridade fisica e moral de niguem para que foi criado direitos umanos e direito de expresào

Anônimo disse...

olha os morto de fomi pe de xinelo que agrediron ela sào ums vermis maais os que istavào asistino e rindo e nada fizeran e porque sào o lixo que produs alimenta e cria vermis como elis quando botào ela no carinho se ovi um diser vào matar o bixo

Anônimo disse...

si ouvi clarisimo a vois de um ifelis que rindo dis vào matar o bixo que vergoha que fais genti igual a ese cara pertenser araça umana

[ Deixe-nos seu Comentário ]