São Gonçalo do Amarante - Ceará - Brasil - sexta-feira 20 de outubro de 2017 - Ano: X - Edição: 3.290 - Visualizações: 18.935.765 - Postagens: 32.192

Boris Casoy o ‘Boca Mole’ é condenado a pagar R$ 21 mil a gari que foi humilhado ao vivo por apresentador


07/08/2017 - O jornalista Boris Casoy e a Band, emissora na qual trabalha, foram condenados pelo Tribunal de Justiça de São Paulo a pagar R$ 21 mil de indenização por danos morais ao gari Francisco Gabriel de Lima.

No Natal de 2009, Lima apareceu no Jornal da Band ao lado de um colega de trabalho, desejando felicidades ao povo brasileiro. Assim que o noticiário foi para o intervalo, o microfone de Casoy permaneceu aberto e todo o País ouviu ele dizer: “Que merda! Dois lixeiros desejando felicidades do alto de suas vassouras. O mais baixo na escala de trabalho”.

As declarações tiveram ampla repercussão na imprensa e na internet.

Durante o julgamento, os advogados de Boris disseram que ele “não pretendeu degradar a profissão de varredor de rua” e que “em hipótese alguma foi cometido preconceito de qualquer espécie”.

Ainda de acordo com o documento judicial, ao qual a reportagem do R7 obteve uma cópia, o jornalista Joelmir Betting, colega de Casoy na Band, foi testemunha e defendeu o amigo. Disse que as falas foram “em tom de brincadeira”.

A Justiça não concordou com a versão apresentada pelos advogados de Boris e da Band, e considerou “civilmente responsáveis pelo ressarcimento de dano tanto o autor quanto o proprietário do veículo de divulgação” de sua fala.

A decisão foi publicada no site da instituição judiciária. Segundo o documento, o valor de R$ 21 mil “mostra-se razoável, diante da gravidade do episódio”, mas não causa “enriquecimento sem causa” por parte do gari, como pede a Lei.

A Band e Casoy ainda podem recorrer no Superior Tribunal de Justiça.


1 comentários:

Cícero disse...

Preconceito de classe é um comportamento grave e abominável. Não podemos aceitar agressões como essas nos nossos dias. Essa ofensa infame, odiosa e desprezível do sr. Boris Casoy é própria de pessoas frustradas e impotentes, de almas pequenas, que para se afirmarem como homens ou mulheres procuram transferir para outrem seus vícios espirituais, fracassos, defeitos e frustrações...

É totalmente absurdo que em pleno século 21 tenhamos ainda de testemunhar comportamentos como esse em nossa sociedade. Preconceito não é um sentimento que brota de repente, da noite para o dia. Ninguém nasce preconceituoso. O preconceito de classe, a intolerância, a discriminação, o elitismo, o próprio racismo são todos produto de um aprendizado que tem suas raízes, muitas vezes, no seio da própria família. Lamentavelmente.

[ Deixe-nos seu Comentário ]