São Gonçalo do Amarante - Ceará - Brasil - terça-feira 17 de outubro de 2017 - Ano: X - Edição: 3.287 - Visualizações: 18.935.765 - Postagens: 32.192

Farsa Jato tem ‘dor de barriga’ nas vésperas de julgamento no Tribunal Popular


8 de agosto de 2017

A força-tarefa lava jato só faz política, age como partido político, mas não quer ficar com os ônus das siglas partidárias. Os procuradores só querem os louros, os holofotes, os 15 minutos de fama etc.

O Ministério Público Federal está tendo ‘dor de barriga’ nas vésperas do “Tribunal Popular Internacional: Julgamento da Lava Jato”, que será realizado nesta sexta-feira, 11 de agosto, em Curitiba.

De acordo com reportagem de Daniel Giovanaz, no site Brasil de Fato, a Procuradoria da República no município de Bento Gonçalves, no Rio Grande do Sul, enviou ao Ministério Público Federal (MPF) do Paraná um alerta sobre o evento “Tribunal Popular: Julgamento da Lava Jato”, agendado para a próxima sexta-feira (11), em Curitiba. O ofício nº 583/2017 chama a atenção para uma suposta tentativa de “achincalhar o sistema judiciário”, com potencial de “induzir cidadãos a erro e criar falso senso de autoridade pública”.

O documento foi enviado pelo procurador Alexandre Schneider e endereçado à procuradora-chefe no Paraná, Paula Cristina Conti Thá.

Organizado pelo Coletivo Advogadas e Advogados pela Democracia (CAAD), o Tribunal Popular nada mais é que um julgamento simulado das ações da operação Lava Jato.

A ideia é que a população se familiarize com as etapas de um processo, até a divulgação da sentença, e ao mesmo tempo conheça os principais argumentos contrários e favoráveis à operação Lava Jato.


1 comentários:

ALMANAKUT BRASIL disse...

Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro restringe uso de laxantes no sistema prisional - 26/09/2017

De acordo com a sentença, em favor da Defensoria Pública, a aplicação de laxativos também deve levar em conta o risco de morte resultante do rompimento para a corrente sanguínea da substância encontrada no aparelho digestivo do paciente.

Em primeira instância, a Justiça já havia proibido a prática dos agentes penitenciários de submeter os prisioneiros ao uso de água com sabão em pó ou detergente, com a mesma função do laxante. Esse fato foi apurado pelo Núcleo de Defesa dos Direitos Humanos da Defensoria Pública do estado (Nudedh), em visitas periódicas às unidades prisionais. A decisão foi confirmada pelo TJRJ.

O estado recorreu da decisão, alegando que utiliza o medicamento adequado e em um ambiente hospitalar.

https://br.noticias.yahoo.com/tribunal-justi%C3%A7a-rio-restringe-uso-193511439.html


Ô moço, eu só quero tomar um banho e dar uma cagada

MANCHETE maringamanchete

https://www.youtube.com/watch?v=Jw-iWz4ciVc

[ Deixe-nos seu Comentário ]