São Gonçalo do Amarante - Ceará - Brasil - quinta-feira 14 de dezembro de 2017 - Ano: X - Edição: 3.345 - Visualizações: 19.638.129 - Postagens: 32.192

Fortaleza: a redenção chegou após oito anos e foi com drama; time está na Série B 2018


O Fortaleza vai disputar a Série B em 2018. E foi com drama.

Após oito anos na Série C, a equipe conseguiu finalmente a redenção. Está livre da Série C e tem a oportunidade de começar uma nova história, já resgatado da Terceira Divisão após perder para o Tupi por 1 a 0, neste sábado. No agregado, 2 a 1, já que a ida terminou com vitória do Leão por 2 a 0.

Neste período foram temporadas de bastante sofrimento, quase rebaixamento para a quarta divisão e insucessos desde 2012 em jogos decisivos, quando o regulamento registrou a necessidade do mata-mata.

Mas o passado está escrito e o futuro, ainda não.

E as lições de tantos anos precisam ser aprendidas com urgência, inclusive levando em conta duas situações marcantes: o pior elenco tecnicamente que o Fortaleza montou pelo menos desde o mata-mata conseguiu subir e comandado por uma diretoria – e aí entra a história da missão do presidente Luis Eduardo Girão – que assumiu no meio da temporada após a renúncia coletiva dos dirigentes que começaram o ano.

O JOGO

O confronto histórico ocorreu neste sábado, em Juiz de Fora, interior de Minas, contra o Tupi, com a presença de quase dois mil torcedores do Fortaleza. O início do jogo já deu mostra da postura do Fortaleza, esperando as iniciativas do Tupi e tentando sair nos contra-ataques. Logo aos três minutos, em impedimento, a equipe mineira abriu o placar, gol marcado por Romarinho. O time da casa insistia e quase marcou mais duas vezes, novamente com Romarinho, em saída errada de Marcelo Boeck, e com Italo, acertando a trave.

A partir dos 30 minutos os comandados de Antonio Carlos mostraram outra postura. Com mais calma, trocavam passes e tinham em Hiago a saída de segurança e velocidade, especialmente pelo lado esquerdo. Foi assim que o atacante finalizou com perigo em duas oportunidades.

O segundo tempo mais uma vez teve domínio do Tupi. Aos sete minutos, Andrei teve gol anulado também por impedimento e aos 14 minutos foi a vez de Marcelo Boeck – o melhor atleta da campanha do acesso – ser decisivo em chute de Helder, de bicicleta.

Restando 30 minutos para o acesso e tendo que fazer pelo menos dois gols para levar a decisão para os pênaltis, o Tupi mantinha a postura tática de ataque, mas encontrava até então uma sólida defesa do Fortaleza, que permitia pouco ao adversário.

Aos 36 minutos, o Tupi abriu o placar. Após ótima jogada pela direita, Edmário ajeitou de cabeça para Fernando e o zagueiro fez 1 a 0, na pequena área tricolor. O jogo se tornava ainda mais dramático e, na sequência, Marcelo Boeck fez duas ótimas intervenções.

Nos minutos finais, já com Leandro Cearense e Jô em campo, o Fortaleza, de forma inteligente, segurou a posse de bola no campo de ataque e só restava algo a se fazer, após oito anos: comemorar o acesso.


1 comentários:

Manoel Oliveira disse...

O FORTALEZA FOI REALMENTE QUASE CORRETO NA PARTIDA TEM COMANDO E DIRETORIA. A DO CEARA EXISTEM DUAS QUADRILHAS BRIGANDO PELO VOTO DOS TORCEDORES DO CEARA, ISSO E MUITO NOJENTO,PARECE UMA COISA INUSITADA MAS E VERDADE , EU ACHO MUITO DIFÍCIL A CLASSIFICAÇÃO DO CEARA, PARA SERIE A. NÃO TEM RESPEITO E OS JOGADORES SAO MUITOS NERVOSOS , ESPECIALMENTE A DEFESA.ACHO UM TIME FRAQUISSIMO.

[ Deixe-nos seu Comentário ]