São Gonçalo do Amarante - Ceará - Brasil - quarta-feira 22 de novembro de 2017 - Ano: X - Edição: 3.323 - Visualizações: 19.422.689 - Postagens: 32.192

STF não pode "continuar acovardado" após saber da compra do impeachment, diz deputado


15/10/2017 - O deputado federal Paulo Pimenta (PT) usou as redes sociais para se manifestar sobre a delação de Lúcio Funaro sobre o uso de recursos da JBS, por Eduardo Cunha, para comprar votos a favor do impeachment de Dilma Rousseff. Na visão de Pimenta, a revelação impõe alguma atitude ao Supremo Tribunal Federal, que permaneceu "acovardado" diante do golpe. "STF não pode continuar acovadado diante dos fatos", disparou. 
Para Pimenta, as informações de Funaro ainda complicam a situação do ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot. "Janot e o STF foram decisivos para que Dilma fosse afastada e Temer assumisse. Funaro revelou que eles sabiam de tudo e ficaram calados", disse.

Poucos dias antes de deixar o posto, Janot se manifestou no processo movido por Dilma para anular o impeachment. Um dos argumentos utilizados pela presidente deposta era o fato de Cunha ter praticado desvio de função, ou seja, deflagrado a ação por improbidade administrativa por vingança pessoal e para colocar o PMDB no poder, com o intuito de frear a Lava Jato.

Janot, por sua vez, apesar de ter denunciado Michel Temer no quadrilhão do PMDB usando a delação de Funaro neste sentido, votou contra anular o impeachment.

"Se Janot sabia que o impeachment foi comprado por Temer e Cunha, com dinheiro da JBS, por que não pediu a anulação do golpe?", indagou Pimenta. "Por que antes de sair, deu parecer contrário ao pedido de anulação do impeachment, se calando e omitindo?"


0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]