São Gonçalo do Amarante - Ceará - Brasil - terça-feira 12 de dezembro de 2017 - Ano: X - Edição: 3.343 - Visualizações: 19.638.129 - Postagens: 32.192

Após propinoduto da Globo, Lula defende regulação da mídia


O ex-presidente Lula tem uma certeza: “Quem quiser ter um programa para querer governar este país daqui para a frente terá de encarar a regulamentação dos meios de comunicação”; o recado foi dado à Globo e aos jornalões durante Congresso do PCdoB, neste domingo (19), em Brasília, ainda sob o impacto das investigações nos Estados Unidos do propinoduto da emissora para conseguir exclusividade na transmissões de jogos da Fifa; “Eu quero como a tv alemã, a francesa, eu quero que tenha liberdade, que tenha direito de resposta, que a oposição possa se manifestar, as universidades, os estudantes, os sindicatos possam se manifestar. Não é essas famílias mandarem na comunicação do país inteiro”, disse o ex-presidente


20 DE NOVEMBRO DE 2017

O ex-presidente Lula tem uma certeza: “Quem quiser ter um programa para querer governar este país daqui para a frente terá de encarar a regulamentação dos meios de comunicação”.

O recado foi dado à Globo e aos jornalões durante Congresso do PCdoB, neste domingo (19), em Brasília, ainda sob o impacto das investigações nos Estados Unidos do propinoduto da emissora para conseguir exclusividade na transmissões de jogos da Fifa (saiba mais aqui).

Para Lula, não faz sentido que apenas algumas famílias, como a dos Marinho, mandem na comunicação do país inteiro.

“Eu quero como a tv alemã, a francesa, eu quero que tenha liberdade, que tenha direito de resposta, que a oposição possa se manifestar, as universidades, os estudantes, os sindicatos possam se manifestar. Não é essas famílias mandarem na comunicação do país inteiro”, disse o petista.

Num discurso de 40 minutos, o ex-presidente manifestou apoio à pré-candidatura de Manuela D’Ávlia, do PCdoB; pediu mobilização popular para barrar as políticas neoliberais de Michel Temer; criticou a reforma trabalhista; e a entrega do pré-sal à multinacionais.

“Eles não são governantes, são usurpadores. Eles não têm compromisso com o povo brasileiro. Eles estão acabando com a soberania e nós temos que reconquista-lá. E com coragem, vamos para rua juntos!”, convocou Lula.


0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]