São Gonçalo do Amarante - Ceará - Brasil - domingo 21 de janeiro de 2018 - Ano: X - Edição: 3.383 - Visualizações: 20.025.239 - Postagens: 32.877

ESMAEL MORAIS | A velhaca mídia enquadra FHC, que defende Lula na prisão

Jornalista e blogueiro paranaense, Esmael Morais é responsável pelo Blog do Esmael, um dos sites políticos mais acessados do seu estado

15 de Dezembro de 2017

FHC voltou atrás depois de receber críticas da mídia por defender Lula na disputa de 2018. Agora, tal uma biruta de aeroporto, o tucano diz que foi mal interpretado e que não é contra o petista na cadeia.

"Fui mal interpretado quando disse isso na convenção. Acharam que eu era contra a prisão do Lula", afirmou FHC ao pedir celeridade do TRF-4 na condenação de Lula.


FHC realiza muitas palestras Brasil afora, por isso cedeu à chantagem.

Todos os jornalões da velhaca mídia são unânimes em pressionar o judiciário para tirar Lula das eleições do ano que vem. Sem um candidato competitivo e diante do fracasso das experiências Luciano Huck e João Doria, não restou alternativa senão o tapetão.

Para a Folha, em editorial nesta quinta-feira (14), "é boa notícia que tenha sido marcado para 24 de janeiro o julgamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT)" e que "com a definição da data, aumentam as chances de que seja dirimida a tempo uma incerteza que ameaça a normalidade da disputa presidencial de 2018".

Já O Globo, igualmente em editorial hoje, afirma que a prisão do ex-presidente não abalará o País, haja vista "tantas condenações de corruptos depois, inclusive de petistas estrelados; de prisões provisórias e também de sentenças condenatórias de grandes empresários, não será uma segunda condenação de Lula, com risco de prisão, que abalará o país".

Se FHC antes havia pedido para que se esquecesse o que ele escreveu, agora ele pede encarecidamente para que esqueçam o democrata que fora na década de 1980, na luta contra o arbítrio.


FHC, assim como a velhaca mídia, quer evitar que Lula se eleja e garantir o desmonte do Estado Social, qual seja, a venda do país e a retirada dos direitos dos trabalhadores que não coadunam com um governo popular.

0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]