São Gonçalo do Amarante - Ceará - Brasil - domingo 21 de janeiro de 2018 - Ano: X - Edição: 3.383 - Visualizações: 20.025.239 - Postagens: 32.877

Indústria supera serviços em São Gonçalo do Amarante; 53% do PIB


O município é o único do Estado com esse perfil. Dos 184 cidades, seis responderam por 60,9% do PIB cearense em 2015, segundo dados do IBGE


16/12/2017 - O município de São Gonçalo do Amarante, na Região Metropolitana de Fortaleza, é o único do Ceará onde a atividade da indústria, com 53,33%, é maior do que a atividade de serviços, com 42,78%, em termos de participação no Produto Interni Bruto (PIB). Os dados são referentes ao ano de 2015 e constam em levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

“Isso mostra a dimensão do Complexo Industrial e Portuário do Pecém (Cipp) para o setor industrial do Estado. Essa participação tende a aumentar quando for contabilizado o ano de 2016, quando a Companhia Siderúrgica do Pecém começou a operar”, diz o coordenador de Contas Regionais do Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (Ipece), Nicolino Trompieri.

Apesar disso, ele observa que a concentração na Região Metropolitana deve continuar, já que a estrutura econômica leva tempo para ser alterada e, mesmo com a defasagem de dois anos, o comportamento é quase o mesmo. Os únicos municípios do Interior com participação no (PIB são Iguatu, Itapipoca e Aracati.

Dos 184 municípios do Ceará, seis (Fortaleza, Maracanaú, Caucaia, Sobral, Juazeiro do Norte e Eusébio) responderam por 60,9% do PIB do Estado de 2015. Destes, só Fortaleza responde por 43,2%, mas a concentração ainda maior se for considerada a Região Metropolitana: 65,2% do PIB. Isso mostra, segundo Nicolino, que no Ceará, assim como no País, a concentração está na capital e Região Metropolitana.

Em 2015, apenas sete dos 5.570 municípios do Brasil respondiam por cerca de 25% do PIB): São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre e Manaus, conforme pesquisa Produto Interno Bruto – PIB dos Municípios 2010-2015, do IBGE.

Participação

Com base nesses dados, o Ipece, divulgou ontem, a concentração da produção na Região Metropolitana, com foco nas atividades da indústria e serviços, o setor que mais concentra a produção. São 128 municípios que apresentam uma participação dos serviços acima de 75%.

Na avaliação feita pelo Ipece, os resultados mostram a elevada participação do setor privado na atividade produtiva dos 15 maiores municípios cearenses e baixa dependência do setor público.

Por outro lado, os quinze menores municípios participaram com apenas 0,5% do PIB estadual, apresentando forte participação das atividades de Administração pública e de Serviços. De acordo com Nicolino, em torno de 72% dos municípios cearenses ainda são extremamente dependentes do setor público, mostrando uma carência de desenvolvimento impulsionado por outras formas de produção, em especial a indústria.

Menores economias

As 15 cidades do Estado com menor PIB (2015) são: Granjeiro, Baixio, Pacujá, Senador Sá, Umari, Potiretama, Altaneira, Pires Ferreira, General Sampaio, Ererê, Arneiroz, Antonina do Norte, Guaramiranga, Tarrafas e Itaiçaba.

Quanto aos municípios com menor PIB do Estado do Ceará, nota-se a elevada dependência da Administração Pública (APU), nas três esperas: municipal, estadual e federal, bem como do setor de Serviços.

É nítida a fraca participação da atividade industrial nesses municípios, segundo o documento, que foi elaborado pelos analistas de Políticas Públicas do Ipece: Alexsandre Lira Cavalcante, Cleyber Nascimento de Medeiros, Nicolino Trompieri Neto, Witalo de Lima Paiva e Daniel Suliano, como também por Rogério Barbosa Soares, assessor técnico.


0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]