Obras de expansão do Porto do Pecém em São Gonçalo do Amarante atingem 88,4% de execução


19/12/2017 - As obras de execução da segunda expansão do Porto do Pecém já apresentam 88,4% de avanço total, fazendo com que, em breve, aquela unidade esteja operando com 100% de sua capacidade. A correia transportadora de minério de ferro foi entregue em agosto de 2016 pelo governador Camilo Santana e funciona no píer 1 do porto. Vale lembrar que, desde 2012, o Complexo Industrial e Portuário do Pecém (CIPP) conta com um equipamento semelhante para realizar o transporte de carvão mineral.

Novos berços de atracação (7 e 8) foram concluídos e o nono berço apresenta 65% de sua obra executada. Além disso, a nova ponte de acesso prevista também segue em construção, com 69% de avanço nos serviços. A previsão é de que a obra completa seja entregue até o final de 2018. “Outras melhorias que podemos destacar no Porto do Pecém foram a chegada de equipamentos que incrementaram ainda mais a movimentação de cargas através do terminal portuário cearense”, destacou o titular da Secretaria de Infraestrutura (Seinfra), Lúcio Ferreira Gomes.

Equipado

Dentre os principais equipamentos que chegaram recentemente está o descarregador de minério, instalado no píer 1, junto com a correia transportadora de minério de ferro, tem capacidade de movimentar 2.400 toneladas por hora. Isso facilitará o atendimento às demandas da Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP) com maior velocidade, que atualmente é um dos principais clientes daquele terminal portuário do Litoral Oeste.

Também foram instalados, no decorrer deste ano, dois portêineres Ship to Shore (STS), que são guindastes para a movimentação de contêineres, instalados no berço 8 do Terminal de Múltiplas Utilidades (Tmut) do porto. Eles possuem capacidade de movimentação de 65 toneladas para contêineres e 100 toneladas para operar cargas especiais. Além disso, os equipamentos têm 68 metros de lança, podendo alcançar até a 22ª fileira de contêineres das embarcações. E têm o dobro da velocidade dos guindastes do tipo monolança, que também atuam ali.

Rodoviário
Com o aumento da demanda de um dos mais importantes equipamentos do CIPP, a Seinfra, através do Departamento Estadual de Rodovias (DER), está à frente da implantação da rodovia CE-576, conhecida como Rodovia das Placas. A obra está atualmente com 53% de execução e faz parte do pacote de infraestrutura que visa atender às demandas da CSP. A estrada é considerada essencial para o movimento de caminhões pesados que realizam o transporte das placas de aço da siderúrgica até o porto.

Já o trecho Porto do Pecém – entroncamento da CE-155 (CIPP do Pecém) terá ao final das obras de oito quilômetros de nova rodovia, que conta com aporte financeiro de aproximadamente R$ 15,93 milhôes. O projeto da rodovia faz parte do Programa Viário de Integração e Logística – Ceará IV, que recebe recursos do Estado, em parceria com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

Duplicação

Outra relevante obra que beneficiará o CIPP é a duplicação da rodovia CE-155, trecho Porto do Pecém – entroncamento BR-222, representando 20,1 quilômetros de via duplicada. A melhoria viária vai deixar o principal acesso ao complexo industrial e portuário mais seguro e ágil, aperfeiçoando a logística de transporte para o terminal portuário. A duplicação foi retomada este mês (dezembro) e deve ser entregue em 15 meses, com investimento previsto de R$ 52,19 milhões.

Equipe da Kogas faz visita área do Cipp

O presidente da Companhia de Gás do Ceará (Cegás), Hugo Figueirêdo, recebeu dirigentes Korea Gas Corporation (Kogas) para continuar as tratativas sobre a implantação de um terminal de regaseificação de Gás Natural Liquefeito (GNL) no Porto do Pecém. Acompanhada de Figueirêdo e dos diretores da Cegás, Fábio Norcio e Fabrício Bomtempo, a equipe da Kogas visitou a área do CIPP.

Em 2016, o Governo do Ceará e a Kogas assinaram um memorando de entendimento que deu início aos estudos para promover planejamento, concepção e execução de desenvolvimento do terminal de regaseificação on shore, no Porto do Pecém. O memorando prevê, ainda, a possibilidade do terminal importar GNL, além de transportar, desenvolver projetos de armazenamento e distribuição desta matriz energética no território cearense, com o objetivo de reforçar o crescimento econômico do Estado.

A Kogas é considerada uma das líderes mundiais no negócio de planejamento, concepção, financiamento e operação de infraestrutura de logística de gás natural. Além disso, já demonstrou confiança na viabilidade econômica e operacional do desenvolvimento do terminal. Já a Cegás é uma empresa de economia mista e foi constituída em 1992 com a missão de fornecer Gás Natural canalizado e soluções energéticas para o desenvolvimento do Ceará.


1 comentários:

Manoel Oliveira disse...

O CEARA SOMENTE IRA SER O MELHOR ESTADO PARA SE VIVER NO BRASIL, QUANDO APARECER UM GOVERNO QUE FAÇA A DESSALINIZAÇÃO.AI AMIGOS NOS TENHO CERTEZA, QUE A MAIOR PARTE DAS EMPRESAS DE SAO PAULO VEEM PARA O CEARA,LA ESTA CONTAMINADO DE CRIMES, Assaltos, roubos E mortes. e de um governo reconhecido ladrão. NÃO É ATOA QUE A ONU CLASSIFICOU COM A 143 , QUADRAGÉSIMA CIDADE DO MUNDO MAIS PERIGOSA PARA SE VIVER.E A SEGUNDA É O RIO DE JANEIRO, SEDE DE QUEM DO PARAÍSO QUE APOIA LADROES E CRIMINOSOS REDE GLOBO.

[ Deixe-nos seu Comentário ]