São Gonçalo do Amarante - Ceará - Brasil - segunda-feira 15 de janeiro de 2018 - Ano: X - Edição: 3.377 - Visualizações: 19.930.579 - Postagens: 32.718

Porto do Pecém em São Gonçalo do Amarante bate recorde em movimentação de contêineres


O Porto do Pecém, localizado em São Gonçalo do Amarante, fechou 2017 com movimentação recorde de contêineres, com crescimento anual de 19%

06/01/2018

A APM Terminals Pecém, que é o operador de contêineres no terminal marítimo, administrado pelo Complexo Industrial e Portuário do Pecém (Cipp S.A) realizou 130.008 movimentos (213.951 TEUs, unidade equivalente a um contêiner de vinte pés) ao longo do ano, recorde histórico para o porto. Até então, a maior movimentação havia ocorrido em 2014, quanto foram registrados 119.408 movimentos (197.023 TEUs).

“O consumo crescente do mercado regional, bem como a ampliada demanda das exportações brasileiras são fatores importantes neste contexto. Pecém possui a melhor infraestrutura portuária da região e tem demonstrado melhores índices operacionais em relação aos competidores, tornando-se assim a porto preferido do Nordeste pela perspectiva dos armadores”, afirma, em nota, Ricardo Arten, Diretor Superintendente da APM Terminals no Brasil.

Conforme a empresa, o terminal é capaz de realizar 70 movimentos por hora (BMPH) com os dois guindastes do tipo STS (Ship to Shore) que chegaram ao terminal em 2016 como parte do investimento de R$ 120 milhões feito pela APM Terminals.

“A produtividade do terminal dobrou desde a chegada dos guindastes STS, atingindo uma média de 33,6 movimentos por hora por guindaste. Esse forte desempenho operacional também torna o Porto de Pecém atraente para atuar como um hub em operações de transbordo, cujos volumes mais que triplicaram em 2017 em comparação a 2016 “, acrescenta Daniel Rose, Diretor Superintendente da APM Terminals Pecém, também por meio de nota.

Do ponto de vista comercial, a APM Terminals considera o Pecém o porto brasileiro mais próximo dos Estados Unidos e da Europa, “o que é uma vantagem competitiva” especialmente para as frutas produzidos nos estados do Ceará e do Rio Grande do Norte.

“As frutas são responsáveis por cerca de 20% das exportações de Pecém. Nossa localização permite um menor tempo de trânsito, garantindo que a carga permaneça fresca até chegar aos consumidores finais”, explica Daniel.

Devido a isso, o terminal adicionou novas linhas focadas nas exportações de frutas para a Europa no segundo semestre de 2017, além de apresentar também uma rota direta que liga o Brasil com a América do Norte e serviços de cabotagem.


0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]