Chuva dificultou visão na estrada, diz motorista de ônibus envolvido em acidente na CE-040 no Eusébio




17/02/2018 - Motorista do ônibus que colidiu com uma caçamba na CE-040, Francisco Rafael Gomes afirmou em depoimento na Delegacia Metropolitana do Eusébio que a chuva dificultou a visibilidade no momento do acidente. De acordo com o titular da unidade, delegado Fernando Cavalcante, Rafael e o motorista do caminhão, Davi Alves de Sousa, foram liberados após prestarem esclarecimentos nesta manhã.

Acidente no KM 16 da CE-040 resultou na morte da universitária Stefany Teixeira de Almeida, de 21 anos, e deixou pelo menos outras dez pessoas feridas. Ônibus transportava 36 jovens de Aquiraz para faculdades de Fortaleza.

"Os motoristas foram ouvidos e o inquérito foi instaurado. Vamos ouvir as testemunhas e aguardar o laudo pericial da Pefoce", diz o delegado Fernando Cavalcante.

"Ele (Francisco Rafael Gomes) chegou a dizer que estava muito nublado e chovendo, e quando viu o caminhão não conseguiu desviar. De acordo com ele, a caçamba não estava sinalizada", continua. "Mas ainda é preciso investigar. O motorista da caçamba disse que sinalizou com um cone 15 minutos antes da colisão".

A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) diz em nota que as circunstâncias do acidente serão analisadas e será emitido laudo pericial que apontará as causas. Ainda conforme a pasta, os dois condutores foram submetidos ao teste etílico que deu negativo para ingestão de álcool.

Vítimas

O morador Ijair Oliveira, de 19 anos, diz que acordou com o barulho do acidente. "Ouvimos a pancada forte e corremos. Começamos a ouvir gritos", relata. "Quando chegamos aqui os jovens já estavam descendo desesperados". Ele afirma que Stefany já estava morta quando populares chegaram ao local.

Seis estudantes foram levados para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Eusébio. Desses, cinco foram liberados ainda pela manhã. Três pessoas tiveram cortes na cabeça e precisaram levar pontos, outras duas ficaram com escorações leves.

Francisco Sousa Ferreira, pai de Davi, permaneceu na UPA em observação. Ele está consciente, já fez todos os exames e não corre risco de morrer. De acordo com a coordenação da UPA, o procedimento é por precaução, já que o corte que Francisco levou na cabeça foi mais profundo.

Ele contou aos médicos que estava "tirando um cochilo no banco" quando o ônibus colidiu no caminhão. Já o filho conta outra versão à Polícia: o pai estaria embaixo do veículo realizando reparo mecânico.

Ainda conforme a coordenação da UPA, nenhuma vítima chegou em estado grave.


0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]