Editora Abril que edita a VEJA o maior Fake News do Brasil está quase falida



Patrimônio negativo da Editora foi de R$ 715 milhões em 2016; prejuízo entre 2016 e 2017 foi de R$ 331,6 milhões, um crescimento de 140%; balanço da empresa foi divulgado em 30 de abril de 2018; a auditoria da PwC (PricewaterhouseCoopers) aponta no relatório o que chama de "incerteza relevante" nos dados do balanço, o que significa incerteza com relação à continuidade das operações do grupo

11 DE MAIO DE 2018

Patrimônio negativo da Editora foi de R$ 715 milhões em 2016; prejuízo entre 2016 e 2017 foi de R$ 331,6 milhões, um crescimento de 140%. O balanço da empresa foi divulgado em 30 de abril de 2018. A auditoria da PwC (PricewaterhouseCoopers) aponta no relatório o que chama de "incerteza relevante" nos dados do balanço, o que significa incerteza com relação à continuidade das operações do grupo.

Os dados foram divulgados no Poder360. "As despesas não recorrentes somaram R$ 139,8 milhões em 2017. Entraram nessa conta perdas com indenizações trabalhistas para redução do quadro de funcionários (R$ 23,7 milhões), consultorias para reestruturação financeira (R$ 7,9 milhões), baixa com ágio e mais valia da marca "Casa Cor" (R$ 45,1 milhões) e o programa de regularização tributária (R$ 63 milhões)", diz trecho da matéria.


0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]