São Gonçalo do Amarante - Ceará - Brasil - segunda-feira 23 de Julho de 2018 - Ano: X - Edição: 3.566

Fake News: PF desmente reportagem da Veja sobre bastidores de Lula na prisão. Mais uma para a coleção da revista bandida



05/05/2018

Em nota divulgada à imprensa na noite desta sexta-feira (4), a Polícia Federal (PF) desmentiu a reportagem de capa da revista Veja desta semana. Assinado por Thiago Bronzatto, o texto diz que o repórter teve acesso a Superintendência da PF e narra a rotina do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na prisão.

Segundo a PF, as imagens do circuito interno de segurança comprovam que o autor não teve acesso a área restrita onde está o ex-presidente Lula e que o jornalista apenas participou de uma reunião com servidor que não tem contato com procedimentos relacionados à custódia do ex-presidente Lula.


O órgão afirma, também, que a possível circulação do repórter por outras alas do prédio estão sendo analisadas.

Leia a nota na íntegra:

“Em relação à publicação, da revista VEJA, em 04/05/2018, de matéria intitulada “A VIDA NO CÁRCERE”, assinada pelo jornalista Thiago Bronzatto, que trata da suposta rotina do Ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva na Superintendência Regional da PF em Curitiba, esclarecemos que:
1.Minucioso exame das imagens de circuito interno de segurança permite verificar que o autor da matéria não teve acesso à área restrita ao Ex-Presidente.
2.Grande parte das informações constantes na reportagem são equivocadas e imprecisas. É absolutamente falso, por exemplo, que seja administrada insulina ao custodiado.
3.O jornalista esteve presente no edifício da Superintendência Regional recentemente, onde participou de uma reunião com um servidor que não possui relação com quaisquer procedimentos relacionados à custódia.
4.As circunstâncias que envolvem possível circulação do jornalista por outras alas do prédio, após a mencionada reunião, já estão sendo apuradas.”

“Lula Escobar”

De acordo com a reportagem, o ex-presidente não tem horários rígidos como os outros presos, mas levanta às 7 horas e assiste televisão. Por volta das 7h30, um encarregado serve café e pão com manteiga, o mesmo cardápio dos demais presos. O funcionário também aplica uma dose de insulina no ex-presidente, que faz tratamento contra a diabetes.

Durante o dia, segundo a reportagem, Lula caminha de um lado para o outro da cela para se exercitar. A defesa já teria solicitado uma esteira ergométrica e outros itens para complementar a cela de 15 metros quadrados em que o ex-presidente está preso. O texto também afirma que a cela fica com a porta fechada, mas não trancada e que fica constantemente guardada por dois agentes armados com pistolas, do Grupo de Pronta Intervenção (GPI), considerada a tropa de elite da PF.

A revista também menciona que Lula, diferente dos demais presos da PF, não limpa a cela, o banheiro e nem retira o lixo. Lá, Lula teria recebido o apelido de “cliente” e “Lula Escobar”, em referência ao narcotraficante Pablo Escobar, por conta do tratamento diferenciado.

O texto também atribuí algumas falas ao ex-presidente Lula. Em alguns momentos, o ex-presidente teria feito críticas a senadora e presidente nacional do Partido dos Trabalhadores Gleisi Hoffmann, que teria prometido parar o país por conta da prisão dele, culpado a ex-presidente Dilma Rouseff sobre a situação atual do Brasil e pedido em tom de brincadeira que a juíza Carolina Lebbos, responsável pela execução penal dos condenados pela Lava Jato, liberasse um frigobar com cervejas.



0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]