São Gonçalo do Amarante - Ceará - Brasil - Segunda-feira 25 de Junho de 2018 - Ano: X - Edição: 3.538

Augusto Nardes, responsável pela farsa das pedaladas fiscais, foi alvo de um mandado de busca e apreensão da Polícia Federal



Ministro Augusto Nardes, responsável pela farsa das pedaladas fiscais, que acabou tirando do poder a presidente eleita Dilma Rousseff por meio de um impeachment sem crime de responsabilidade, foi alvo de um mandado de busca e apreensão da Polícia Federal na semana passada, autorizada pelo ministro do STF Dias Toffoli; agentes apreenderam celulares, documentos e computador; como bem profetizou Dilma Rousseff, não ficaria pedra sobre pedra


6 DE JUNHO DE 2018

O ministro do Tribunal de Constas da União (TCU) Augusto Nardes, responsável pela farsa das pedaladas fiscais, foi alvo de um mandado de busca e apreensão da Polícia Federal na semana passada, autorizada pelo ministro do STF Dias Toffoli, noticiou a coluna Expresso.

Agentes apreenderam celulares, documentos e computador do ministro, que é citado em delações premiadas. Entre elas, a de Luiz Carlos Velloso, subsecretário de Transportes do Rio de Janeiro, homologada por Toffoli. Velloso diz que Nardes participou de triangulações envolvendo o empreiteiro Fernando Cavendish e empresas para favorecê-las no TCU. Outras envolvem o ex-diretor da Petrobras Renato Duque, preso pela Lava Jato.

Nardes foi relator das chamadas pedaladas fiscais de Dilma Rousseff e rejeitou as contas do governo de 2014. O gesto acabou tirando do poder a presidente eleita legitimamente por meio de um impeachment sem crime de responsabilidade e colocando no governo a atual quadrilha investigada por diversas acusações.

Em outubro de 2014, Dilma Rousseff, ao comentar uma capa criminosa da revista Veja usada pelo senador Aécio Neves (PSDB-MG) para tentar levar a eleição presidencial daquele ano na mão grande, fez uma profecia relacionada a todos os políticos que tinham planos para estancar a sangria.

"Quero que provem que eu compactuei com a corrupção e não esse tipo de situação em que se insinua e não tem prova. Nesse caso da Petrobras, ou qualquer outro, que tenha a ver com corrupção, eu vou investigar a fundo, doa a quem doer. Quero dizer que não vai ficar pedra sobre pedra", disse à época.

A profecia vem se realizando, não poupando até mesmo o ministro do TCU.


0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]