São Gonçalo do Amarante - Ceará - Brasil - quarta-feira 20 de Junho de 2018 - Ano: X - Edição: 3.533

Já em 2001, Pedro Parente, o “Jênio” da Globo, defendia dolarizar contas de luz



Indicado por Fernando Henrique Cardoso para promover o desmonte da Petrobras e responsável direto por levar mais de um milhão de famílias de volta ao fogão a lenha, Pedro Parente tem histórico de políticas excludentes; em 2001, no auge do apagão elétrico de FHC, o então ministro-chefe da Casa Civil defendeu reajustar contas de luz com base na variação do dólar, como fez com os combustíveis na Petrobras; "Não é razoável admitir que distribuidoras arquem com um custo que não estava previsto", disse Parente em entrevista ao Globo; leia íntegra


4 DE JUNHO DE 2018

Pedro Parente tem história quando se fala de políticas excludentes. Graças à sua política desastrosa de reajustes nos preços dos combustíveis, o indicado de Fernando Henrique Cardoso provocou dez dias de caos no País e prejuízos de R$ 75 bilhões por conta da greve dos caminhoneiros.

Em 2001, no auge do apagão elétrico de FHC, o então ministro-chefe da Casa Civil defendeu reajustar contas de luz com base na variação do dólar, como fez com os combustíveie na Petrobras. "Não é razoável admitir que distribuidoras arquem com um custo que não estava previsto", disse Parente em entrevista ao Globo.

Apenas em 2017, a política de Pedro Parente foi responsável por levar 1,2 milhão de famílias a usar lenha ou carvão para cozinhar, devido ao aumento de 67,8% no preço do botijão de gás, segundo dados da Pnad Contínua do IBGE.

Leia mais no Brasil 247

0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]