São Gonçalo do Amarante - Ceará - Brasil - quarta-feira 20 de Junho de 2018 - Ano: X - Edição: 3.533

Ministério Público tem que ir atrás de Pedro Parente e ele não poderá recorrer ao amigo Sérgio Moro



Com os crimes que cometeu à frente da Petrobras, mais ou cedo ou mais tarde Pedro Parente deverá prestar contas À Justiça, prevê o jornalista Luis Nassif; "[Parente] deixou rastros que, em algum momento, deflagrarão investigações do Ministério Público. E sem poder recorrer à vara de Curitiba, de seu amigo Sérgio Moro", afirma Nassif


2 DE JUNHO DE 2018

O jornalista Luis Nassif, do Jornal GGN, fez nessa sexta-feira, 1, uma trajetória da carreira de Pedro Parente, desde o apagão de energia elétrica no final do governo Fernando Henrique Cardoso até chegar à escandalosa gestão na Petrobras.

"Elevou os preços dos derivados para viabilizar a importação e criar uma capacidade ociosa nas refinarias, de maneira a comprometer seus resultados e facilitar a venda. Para uma empresa sem problemas de crédito no mercado, passou a queimar ativos usando o falso argumento de que a Petrobras estaria quebrada", diz Nassif.

Para o jornalista, Parente se mostrou eficaz para o golpismo e os interesses anti-nacionais, mas encontrou resistências. "Quando coube a ele montar a estratégia, o resultado foi o desastre, que não apenas desmascarou a corrupção soviética instalada no país, como acabou de vez com a farsa de Michel Temer. E ainda deixou rastros que, em algum momento, deflagrarão investigações do Ministério Público. E sem poder recorrer à vara de Curitiba, de seu amigo Sérgio Moro", afirma.

Leia mais no Jornal GGN

0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]