São Gonçalo do Amarante - Ceará - Brasil - quarta-feira 20 de Junho de 2018 - Ano: X - Edição: 3.533

PF conclui que reitor Cancillier não cometeu nenhum crime. E agora quem vai responder pela morte de um inocente?



"Termina o inquérito da Polícia Federal que apura os "crimes" do Reitor Cancillier. Resultado: zero, nada, nenhuma prova ou testemunha a incriminá-lo. Pronto! O Reitor já pode ressuscitar tranquilo. Não será preso novamente. E viva o aparato repressivo do lava-jatismo!", disse o advogado e professor Samuel Gomes pelo Twitter


14 DE JUNHO DE 2018

O advogado e professor de Direito Samuel Gomes ironizou a ação perpetrada pela Polícia Federal contra o ex-reitor da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) Luiz Carlos Cancellier Olivo, que se suicidou após ser acusado injustamente de desvio de R$ 80 milhões em recursos da UFSC.

"Termina o inquérito da Polícia Federal que apura os “crimes” do Reitor Cancillier. Resultado: zero, nada, nenhuma prova ou testemunha a incriminá-lo. Pronto! O Reitor já pode ressuscitar tranquilo. Não será preso novamente. E viva o aparato repressivo do lava-jatismo!", disse Samuel Gomes pelo Twitter.

Em entrevista à TV 247, o pesquisador Acioli Cancelier de Olivo, irmão do ex-reitor da UFSC, relatou os últimos momentos que passou ao lado do irmão e todo o achincalhamento público que o levou ao suicídio. "A Polícia Federal é responsável pela morte do meu irmão", condena Acioli.


0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]