Rede Globo criou caixa-preta de propina do futebol, diz Blatter



"Eu então descubro que uma caixa-preta foi constituída com o dinheiro desviado da televisão brasileira", diz Joseph Blatter, ex-presidente da Fifa, no livro Ma vérité (Minha Verdade), da editora francesa Éditions Héloïse d'Ormesson, lançado no dia 24 de maio; sem nominar, Blatter falava da Rede Globo, cujo nome se mantém em segredo de Justiça nos autos da FIFA Gate

8 DE JUNHO DE 2018

Patrícia Faerman, Jornal GGN - "Eu então descubro que uma caixa-preta foi constituída com o dinheiro desviado da televisão brasileira", diz Joseph Blatter, ex-presidente da Fifa, no livro Ma vérité (Minha Verdade), da editora francesa Éditions Héloïse d'Ormesson, lançado no dia 24 de maio. Sem nominar, Blatter falava da Rede Globo, cujo nome se mantém em segredo de Justiça nos autos da FIFA Gate.

Sucessor do brasileiro João Havelange, permaneceu no comando da Fifa desde 1998, por oito mandatos, abdicando do posto em junho de 2015, na deflagração do escândalo do futebol, a quem ele mesmo denominou em seu livro como "o caso Blatter".

"27 de maio de 2015 começou o que se tornaria 'o caso Blatter': buscas na sede da FIFA, prisões em um palácio em Zurique, suspeitas de fraude e corrupção. O mundo do futebol não é mais redondo. Como o principal acusado, o epicentro do mundo do futebol, Sepp Blatter, o homem que trouxe este esporte da era do artesanato para a era industrial", introduz a orelha de sua publicação lançada na Europa.

"De suas competições amadoras na Copa do Mundo no Qatar, Blatter evoca sua extraordinária ascensão do pequeno Valaisan para se tornar o todo-poderoso presidente da Fifa. Ele traça seu itinerário guiado por uma missão: tornar o futebol universal, torná-lo um elo de paz", continua.

Mas a saga "heróica" de Blatter é interrompida quando fala de "negócios e geopolítica, e revela o que significa ter o posto de chefe de Estado, o orgulho e a incredulidade de ter sido um rei sem fronteiras". Como toda orelha de um livro, é a publicidade que antecede a leitura.

Leia mais no GGN

0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]