Bolsonaro é filho espúrio do casamento do ódio com a impunidade



Jânio de Freitas: o que aconteceria se, em vez de Bolsonaro, um progressista incitasse a violência?
Publicado em 15 julho

Em sua coluna de hoje na Folha de S. Paulo, Jânio de Freitas toca num ponto central: a pregação da violência feita por Bolsonaro: se partisse de alguém que luta contra as injustiças sociais, atitude desse tipo já teria sido reprimida com processos criminais e até prisão. Por que o capitão da reserva, considerado mau militar por antigos generais, como Geisel, continua com seu discurso de ódio, como o que fez no sul do Pará, no local onde houve uma chacina de sem terra?

Lá, ele defendeu os policiais condenados pela chacina e disse que quem merecia bala eram os sem terra.

Lula já foi processado por dizer, no passado, que era hora da onça beber água — um ditado popular –. que um delegado associou a uma senha para que seringueiros no Acre fizessem atos violentos.

Lula acabou absolvido, mas teve de responder a processo.

Quem participa da resistência democrática à prisão de Lula sabe do que são capazes os bolsonaristas. Um deles, delegado da PF, tem rotineiramente provocado os manifestantes e já houve até tiro contra o acampamento, que feriu duas pessoas, uma delas gravemente, e nada foi feito para identificar o autor ou autores.

Leia um trecho da coluna de Jânio de Freitas hoje:

“Os limites legais e os limites dos costumes caem no Brasil sem cessar e sem obstáculos. Mas Jair Bolsonaro, contribuinte para os dois ramos da ceifa, avançou demais a pretexto da pré-candidatura à Presidência. Sua pregação da violência, mesmo que criminosa como a das milícias, passou a fazer o incentivo explícito e público aos assassinatos. Ei-lo, depois de vestir uma faixa presidencial, no sul do Pará, uma das duas regiões rurais de maior criminalidade: ‘Esses marginais que cometeram esse crime [morte de um açambarcador de terras] não merecem lei, não. Merecem é bala.’ E foi por aí. Um defensor de menos injustiça social não precisaria chegar a tanto para que estivesse atolado em processos criminais. E preso”, afirma.


0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]