‘Recessão para pobres e reajuste para juízes é o Brasil desigual do golpe’


Alex Ferreira - Câmara

"O mesmo STF que apoia as medidas de retirada de direitos do golpe, decide incluir aumento de salários para ministros de 16,38% no orçamento de 2019", afirmou a deputada Erika Kokay (PT-DF); "Fome, recessão e desemprego para os pobres. Aumento de salário para os juízes. Esse é o Brasil desigual do golpe"


11 DE AGOSTO DE 2018

A deputada federal Erika Kokay (PT-DF) criticou a decisão do Supremo Tribunal Federal de reajustar os salários dos ministros da Corte em 16,38%. Se o projeto for aprovado pelo Congresso Nacional, as remunerações passarão de R$ 33 mil para R$ 39 mil.


"O mesmo STF que apoia as medidas de retirada de direitos do golpe, decide incluir aumento de salários para ministros de 16,38% no orçamento de 2019", escreve a parlamentar em sua conta no Twitter. "Fome, recessão e desemprego para os pobres. Aumento de salário para os juízes. Esse é o Brasil desigual do golpe", complementou.

Em 2016, o STF negou o pedido formulado pelo PT e pelo PCdoB para suspender a votação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 95, que congela os gastos públicos por 20 anos. De acordo com o projeto, o investimento de um ano deve corresponde ao do ano anterior, corrigido pela inflação.

O Conselho Superior do Ministério Público Federal (CSMPF) também aprovou, por unanimidade, o orçamento do MPF para o ano de 2019, incluindo reajuste de 16,38% para todos os procuradores da República, a exemplo do que fizeram os ministros do STF.



0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]