TSE obedece ordem da Globo rasga a lei eleitoral, nega cobertura à campanha Lula/Haddad e institui a censura no Brasil

Foto: A Postagem


 25/08/2018

Quanto mais próximo do fim do golpe parlamentar, com a grande possibilidade de vitória do ex-presidente Lula ou de Haddad, mais o próprio judiciária se enrola nas próprias pernas. A cobertura das TVs sobre a campanha eleitoral, segundo as leis eleitorais devem ser feitas de forma equivalente em tempo e importância, pelos telejornais e veículos de informação. Mas, a decisão do ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Sérgio Silveira Banhos, é pelo contrário. Rasgou a lei.

É clara a violação do direito do candidato, já que esta inscrito e, mesmo questionado pela PGR, ainda não foi julgado, portanto, sua campanha tem direito à cobertura isonômica. Mesmo sendo preso político, a campanha tem ações e eventos com a participação do vice na chapa petista, em nome de Lula. Ou seja, tem o direito à cobertura até que o TSE julgue o caso. O TSE, portanto, ratifica a censura da Globo, SBT, Record e Band.

Outra questão que deve ser levada em conta, é que sua interpretação pessoal é monocrática e antecipa seu voto no colegiado, quando os recursos contra o ex-presidente for julgado na corte eleitoral. Ou seja, se baseou na Lei da Ficha Limpa para negar a liminar que, por questão de lógica, Lula ainda não está condenado. Logo, o candidato Lula ainda não foi condenado na Lei da Ficha Limpa mas, já é discriminado por ela.

Portanto, o judiciário que não compreende a realidade, não enxerga que quem está em julgamento é o próprio judiciário. Lula, por potro lado, já está absolvido pelo povo que, em qualquer hipótese de segundo turno, tem mais de 50% dos votos de todos os eleitores, fato nunca registrado no Brasil. Já o judiciário vem se tornando unanimidade e deve ter sua imagem piorada nos próximos dias. O TSE terá data e hora para sua sepultura, só falta o caixão.


0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]