Ex-mulher acusou Bolsonaro de furto de cofre, agressividade e ocultação de patrimônio


REUTERS/Adriano Machado

A separação litigiosa de Jair Bolsonaro e de sua ex-mulher Ana Cristina Valle foi além da disputa pela guarda do filho, informa o jornal Folha de S. Paulo; no processo de separação há acusações de furto de cofre, ocultação de bens e relatos de comportamento explosivo; segundo o jornal, os termos do processo de 500 páginas obtido por uma revista são: 'desmedida agressividade' por parte do ex-militar; o documento mostra ainda que Bolsonaro ocultou milhões de reais em patrimônio pessoal na prestação de contas à Justiça Eleitoral de 2006


28 DE SETEMBRO DE 2018

A separação litigiosa de Jair Bolsonaro e de sua ex-mulher Ana Cristina Valle foi além da disputa pela guarda do filho, informa o jornal Folha de S. Paulo. No processo de separação há acusações de furto de cofre, ocultação de bens e relatos de comportamento explosivo. Segundo o jornal, os termos do processo de 500 páginas obtido por uma revista são: 'desmedida agressividade' por parte do ex-militar. Segundo o documento, Bolsonaro ocultou milhões de reais em patrimônio pessoal na prestação de contas à Justiça Eleitoral de 2006.

A reportagem do jornal Folha de S. Paulo destaca que "as informações constam de um processo de cerca de 500 páginas obtido pela revista Veja e revelado na noite desta quinta-feira (27)".

Segundo a revista, Ana Cristina também acusou o Bolsonaro de furtar US$ 30 mil e mais R$ 800 mil —sendo R$ 600 mil em joias e mais R$ 200 mil em dinheiro vivo— de um cofre que ela mantinha em uma agência do Banco do Brasil, em 26 de outubro de 2007.

O episódio teve como consequência um boletim de ocorrência registrado na 5ª Delegacia de Polícia Civil, no mesmo dia.

Segundo a reportagem, "a ex-mulher também disse no processo que a renda mensal do deputado na época chegava a R$ 100 mil. Para tal, Bolsonaro recebia 'outros proventos' além do salário de parlamentar —à época, segundo a Veja, de R$ 26,7 mil como parlamentar e outros R$ 8.600 como militar da reserva. Ela não especificou quais seriam as fontes extras".

A matéria ainda lembra: "em janeiro deste ano, a Folha mostrou o aumento de patrimônio registrado por Bolsonaro e seus filhos —e como adquiriu imóveis por preços abaixo do valor de mercado".

A separação foi tumultuada também em função da briga pela guarda do filho: "as acusações da ex-mulher descritas no processo obtido pela Veja incluem o caso revelado pela Folha sobre a disputa da guarda do filho do casal, Jair Renan. Ana Cristina afirmou, segundo documentos obtidos no Itamaraty, que ela sofria ameaças de morte de Bolsonaro. Em 2009, teria fugido para a Noruega por medo do deputado. A narrativa de Ana Cristina foi confirmada à Folha por brasileiros que conviveram com a ex-mulher de Bolsonaro naquele país".


0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]