LUIS FELIPE MIGUEL: Bolsonaro é o mal tosco; Moro, a crueldade calculista

Editora 247


O cientista social Luis Felipe Miguel compara as figuras de Bolsonaro e Moro e constata: "a pior figura do novo governo não é Bolsonaro. O pior de todos é o ex-juiz"; leia e entenda a razão

25 DE NOVEMBRO DE 2018


De Luis Felipe Miguel, em seu Facebook -  Vocês, meus amigos, eu sei: vocês odeiam Bolsonaro.

Odeiam a exibição da truculência, o orgulho da ignorância. Odeiam perceber que é da estreiteza mental, do vocabulário limitado, da inépcia argumentativa que ele extrai sua força - porque isso diz muito sobre o país que também é nosso.

Bolsonaro anda cercado de brutamontes que nos lembram que somos, na verdade, os parentes degenerados dos gorilas.

Eu entendo vocês. Sempre me vem a mente a risada de Bolsonaro - uma, em especial, a risada que ele dá na entrevista do Roda Viva, depois de perguntado sobre qual seu livro preferido e antes de responder que são as memórias do torturador Brilhante Ustra. A combinação entre estupidez e desumanidade, que aquela risada revela, é de gelar a espinha.

Mas, meus amigos, a pior figura do novo governo não é Bolsonaro.

O pior de todos é o ex-juiz.

Sérgio Moro representa a sofisticação do mal. Representa a amoralidade militante posta a serviço do atraso.

Bolsonaro exibe um paroxismo de violência que é difícil de encarar. Mas a crueldade calculista de Moro, com os modos pseudopolidos de nossa elite, é provavelmente ainda mais danosa a longo prazo.


0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]