Globo reforça guerra contra família Bolsonaro envolvida em fraudes bancárias

Editora 247

O Grupo Globo decidiu partir para cima da família Bolsonaro e estampou logo cedo a manchete que denuncia fraudes em depósitos na conta bancária de Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro; a operação de cerco aos Bolsonaro começou na terça-feira, conforme apontou matéria do 247, em que todos os veículos do Grupo de Mídia destacaram o escândalo rastreado pelo Coaf; os depósitos mensais, repetidos e de valores idênticos, feitos em dinheiro vivo, somaram R$ 55 mil, de acordo com a reportagem do jornal O Globo

14 DE DEZEMBRO DE 2018

O Grupo Globo decidiu partir para cima da família Bolsonaro e estampou logo cedo a manchete que denuncia fraudes em depósitos na conta bancária de Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro. A operação de cerco aos Bolsonaro começou na terça-feira, conforme apontou matéria do 247, em que todos os veículos do Grupo de Mídia destacaram o escândalo rastreado pelo Coaf. Os depósitos mensais, repetidos e de valores idênticos, feitos em dinheiro vivo, somaram R$ 55 mil, de acordo com a reportagem do jornal O Globo.

Segundo a reportagem, "a conta bancária de Fabrício Queiroz , ex-assessor do deputado estadual e senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL), recebeu depósitos mensais de valores idênticos ou semelhantes feitos sempre nas mesmas agências bancárias e em dinheiro vivo, mostra um cruzamento de dados do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) feito pelo GLOBO. Somadas, as operações repetidas chegam a R$ 55,5 mil entre janeiro e dezembro de 2016." 

A matéria acrescenta que "o relatório do Coaf apontou movimentações suspeitas feitas por servidores e ex-servidores da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) . Por si só, não configuram um ilícito. Porém, a documentação foi anexada pela força-tarefa da Lava-Jato do Rio na ação da Operação Furna da Onça, que prendeu sete deputados estaduais em novembro."

O Coaf tipifica a movimentação financeira dos assessores listados como "atípica". O órgão afirma que "foi identificada a realização de operações fracionadas em espécie". Dentre as operações, estão 59 repasses em dinheiro vivo a Queiroz, que totalizam R$ 216 mil.

Ainda segundo o Coaf, o valor que mais se repete é bastante específico: em 7 meses a conta recebeu depósitos de R$ 1.771 realizados na agência 0532 do Banco Itaú, na Rua Jardim Botânico. Os depósitos  foram feitos sempre no mesmo dia ou dias depois do pagamento de servidores da Alerj.


0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]