Perícia atesta: juíza usou arquivo de texto de Sérgio Moro em sentença contra Lula



Defesa do ex-presidente Lula comprovou, por meio de um exame pericial, que a juíza Gabriela Hardt, que condenou o ex-presidente a 12,11 anos de prisão no caso do sítio de Atibaia, copiou trechos inteiros do "mesmo arquivo de texto" usado pelo atual ministro da Justiça, Sérgio Moro, na sentença do caso do triplex do Guarujá; exame feito pelo Instituto Del Picchia  aponta que em um dos casos,um trecho inteiro sobre o triplex foi reproduzida na penúltima página da sentença, incluindo a referência a "um apartamento"; material será utilizado em recursos junto a instâncias superiores que a sentença contra Lula foi injusta e fruto de perseguição política

26 DE FEVEREIRO DE 2019

A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva comprovou, por meio de um exame pericial, que a juíza da 13ª Vara Federal de Curitiba, Gabriela Hardt, que condenou o ex-presidente a 12,11 anos de prisão no caso do sítio de Atibaia, copiou trechos inteiros do "mesmo arquivo de texto" usado pelo atual ministro da Justiça, Sérgio Moro, na sentença do caso do triplex do Guarujá.

De acordo com a coluna Painel, da Folha de S. Paulo, o exame feito pelo Instituto Del Picchia aponta diversas similaridades entre as duas sentenças. Em um dos "lapsos" da magistrada, um trecho inteiro sobre o triplex foi reproduzida na penúltima página da sentença, incluindo a referência a "um apartamento".

O resultado da perícia será utilizado pela defesa do ex-presidente em recursos que serão impetrados junto ao Tribunal Regional da 4ª Região (TRF-4) e, também, às instâncias superiores.

Questionada sobre o assunto, Gabriela Hardt disse, por meio de sua assessoria, que não iria se manifestar sobre o caso.


0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]