Folha de S. Paulo: Bolsonaro criou mais uma crise com sua depravação digital


Marcos Corrêa/PR

O jornal Folha de S. Paulo destaca a capacidade única de Jair Bolsonaro para criar crises; com a postagem do vídeo obsceno no Twitter em que o presidente expõe um homem enfiando o dedo no próprio ânus - imagem que viola as regras de conteúdo da plataforma digital - a situação política do governo que já era difícil tornou-se dramática; o PSL acuado com os escândalos dos laranjas, um primeiro-filho envolvido com milicianos do Rio de Janeiro e um quadro de ministros prodigioso em desconhecer as próprias funções já bastavam como geração espontânea de crises; no entanto, Bolsonaro chamou para si essa função

6 DE MARÇO DE 2019

O jornal Folha de S. Paulo destaca a capacidade única de Jair Bolsonaro para criar crises. Com a postagem do vídeo obsceno no Twitter em que o presidente expõe um homem enfiando o dedo no próprio ânus - imagem que viola as regras de conteúdo da plataforma digital - a situação política do governo que já era difícil tornou-se dramática. O PSL acuado com os escândalos dos laranjas, um primeiro-filho envolvido com milicianos do Rio de Janeiro e um quadro de ministros prodigioso em desconhecer as próprias funções já bastavam como geração espontânea de crises. No entanto, Bolsonaro chamou para si essa função.

Ao cobrir a surpreendente postagem de Bolsonaro no Twitter, o jornal demonstrou a habitual incredulidade técnica, deixando transpassar o pessimismo pelo agora previsível derretimento da reforma da previdência - que interessa às vozes empresariais que dominam o veículo. Diante de tanta incompetência e comportamento político suicida, não há poque se ter expectativa de de um governo aprovando matérias na Câmara, quanto mais reformas.

A rigor, a imprensa que defende uma agenda liberal e que depositava em Bolsonaro a esperança de ver mudanças drásticas de redução do Estado - que, a despeito da improficiência política do governo, têm sido empurradas goela abaixo pela Câmara Federal - toma seu susto diário com a dimensão do grotesco que habita o comportamento do presidente da República.

A Folha de S. Paulo praticamente 'lamentou' o tuíte de Bolsonaro, não pelo que ele tem de obsceno, mas pelo que ele tem de político.


0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]