Bolsonaro insulta a inteligência e diz que nazismo é de esquerda


Fotos: Reuters

"Sem dúvidas. É o Partido Nacional Socialista da Alemanha", disse o presidente Jair Bolsonaro nesta terça-feira, 2, durante visita ao Museu do Holocausto, ao ser indagado se concordava com a tese absurda defendida pelo chanceler Ernesto Araújo e rechaçada pela comunidade internacional; o próprio museu destaca que o genocídio de 6 milhões de judeus foi decorrente do clima de frustração na Alemanha após a Primeira Guerra Mundial e que "junto a intransigente resistência e alertas sobre a crescente ameaça do Comunismo, criou solo fértil para o crescimento de grupos radicais de direita na Alemanha, gerando entidades como o Partido Nazista"

2 DE ABRIL DE 2019

O presidente Jair Bolsonaro voltou a insultar a inteligência dos brasileiros ao afirmar, após sua visita ao museu do Holocausto, o Yad Vashem, em Israel, que o nazismo foi um "movimento de esquerda". "Sem dúvidas. É o Partido Nacional Socialista da Alemanha", disse Bolsonaro ao ser indagado se concordava com a tese defendida pelo chanceler Ernesto Araújo e que virou piada mundial pela negativa histórica.

O próprio museu destaca em uma análise histórica em seu site que o genocídio de 6 milhões de judeus foi decorrente do clima de frustração na Alemanha após a Primeira Guerra Mundial e que "junto a intransigente resistência e alertas sobre a crescente ameaça do Comunismo, criou solo fértil para o crescimento de grupos radicais de direita na Alemanha, gerando entidades como o Partido Nazista". 

No último dia 30, Araújo voltou a defender em seu blog, Metapolítica 17, que o nazismo era uma ideologia de esquerda. "Podemos facilmente notar que o nazismo tinha traços fundamentais que recomendam classificá-lo na esquerda do espectro político". O texto foi compartilhado pelo deputado Eduardo Bolsonaro, filho do presidente, que também acompanha a comitiva. Na semana passada, porém, especialistas europeus já haviam qualificado a tese defendida pelo chanceler como uma "asneira" e um "disparate".


0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]