Editorial do Estado de S. Paulo diz que Bolsonaro invadiu a Petrobrás como se a empresa fosse privada



"Em mais uma ação desastrada", diz o texto, Bolsonaro "invadiu a Petrobrás"; sobre ele ter pedidos os números que justificaram o reajuste, o texto critica: "essa exigência é uma clara e inegável intromissão num assunto tipicamente empresarial, a fixação do preço de um produto. Será o presidente Bolsonaro incapaz de perceber esse fato tão simples?"

13 DE ABRIL DE 2019

Editorial do Estado de S.Paulo publicado neste sábado 13 critica duramente o gesto do presidente Jair Bolsonaro em barrar o reajuste do diesel pela Petrobrás, a fim de atender a uma exigência dos caminhoneiros, que ameaçavam fazer grave. "Em mais uma ação desastrada", diz o texto, Bolsonaro "invadiu a Petrobrás".

O presidente exigiu dos executivos da empresa a apresentação dos números que justificaram o reajuste para sua avaliação. "Essa exigência é uma clara e inegável intromissão num assunto tipicamente empresarial, a fixação do preço de um produto. Será o presidente Bolsonaro incapaz de perceber esse fato tão simples?", questiona o veículo.

"Se isso é a nova política prometida pelo presidente, os próximos anos poderão ser emocionantes como um filme-desastre", conclui o editorial, que faz críticas às políticas anteriores dos governos do PT e lembra que, "não por acaso", a decisão de Bolsonaro "foi apoiada por um deputado petista", o líder do PT na Câmara, Paulo Pimenta (RS).


0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]